ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 29º

Faz Bem!

Engordou na quarentena? Veja dicas para fugir do grupo de risco

Lado B explica os riscos da covid-19 quando se é obeso, bem como dá dicas para evitar que isso aconteça, tudo no conforto de casa

Por Lucas Mamédio | 18/05/2020 06:36
Atualmente vários aplicativos pagos estão gratuitos por conta da pandemia (Foto:Reprodução/Catraca Livre)
Atualmente vários aplicativos pagos estão gratuitos por conta da pandemia (Foto:Reprodução/Catraca Livre)

Desde o começo da pandemia, alguns perfis logo foram colocados no grupo de risco. Idosos e pessoas com doenças crônicas, por exemplo, precisam de cuidados redobrados e você já está cansado de saber disso.

Acontece que, apesar de não ser propriamente uma novidade, mais recentemente, as atenções estão sendo voltadas para outro perfil de gente que está no grupo de risco: os obesos.

 “A obesidade é considerada uma doença crônica, reconhecida na condição de inflamação crônica de baixo grau. Essa condição, onde o indivíduo possui IMC (Índice de Massa Corpórea) acima de 30Kg/m2, abre portas para outros tipos de doenças como hipertensão, diabetes tipo 2, problemas cardiovasculares e consequentemente uma queda na imunidade, sendo assim qualquer indivíduo exposto a essas condições, pode desenvolver a covid-19 ou qualquer outra infecção respiratória grave”, explica Juliana Lima, nutricionista comportamental, especialista em transtornos alimentares.

Juliana explica que o contexto do isolamento propicia a ansiedade como um fator que afeta o padrão alimentar e isso aliado à ociosidade, pode levar uma pessoa a começar a engordar.

“São as duas situações que mais ouvi dos pacientes desde que a quarentena iniciou. Primeiramente, é necessário reduzir a ansiedade, para isso indico a prática da meditação diariamente antes de iniciar o dia e sem dúvidas, ter uma rotina desde a hora em que acorda, até a hora de dormir. São tarefas simples como tomar banho ao acordar, arrumar a cama, preparar o cardápio alimentar do dia, ler um capítulo de algum livro, praticar exercício físico, lavar roupa, brincar com os filhos, fazer home office. Por menor que sejam essas funções, sua mente está ocupada e não focada em comida. Outra forma de controlar o desejo pela comida é ter um planejamento alimentar diário, além de ajudar na hora das compras do supermercado, reduz muito os pensamentos em torno da comida”.

E na hora de comer, não pode ser qualquer coisa, principalmente agora que sua saúde precisa estar em dia. “Os alimentos fonte de vitamina C são grandes aliados da imunidade, dentre eles temos brócolis, kiwi, laranja, morango, goiaba, mamão papaia, couve, assim como os alimentos antioxidantes que também são essenciais, dentro dessa lista temos alguns como o açafrão frutas cítricas e vermelhas, aveia, cacau, cenoura, tomate, melancia, pitaya. A ingestão de água também é fundamental para manter um organismo saudável, a dose recomendada por dia é de 35ml vezes o seu peso corporal”.

Down Dog é um aplicativo de yoga pago que está com acesso gratuito até primeiro de julho devido à pandemia (Foto: Reprodução)
Down Dog é um aplicativo de yoga pago que está com acesso gratuito até primeiro de julho devido à pandemia (Foto: Reprodução)

A dica também vale para o que não comer. “Alimentos processados e/ou ultra processados, como presunto, salsicha, peito de peru, sorvetes, bolachas recheadas, assim como alimentos inflamatórios, massas, pães e açúcar branco, e os alimentos industrializados que além de serem ricos em açúcar de adição, corantes e aditivos químicos, também influenciam para o aumento do processo inflamatório e ganho de peso, por isso o ideal é que não sejam consumidos diariamente”.

Apesar de ser parte importante desse processo de não engordar ou até de emagrecer, a alimentação tem que estar aliada à atividade física. “A queima de gordura, além de ajudar na capacidade cardiopulmonar, ou seja, se você vier a se infectar com covid-19, terá um pulmão que responde bem melhor as infecções de vias aéreas. Hoje em dia existem vários aplicativos que disponibilizam aulas rápidas de diversas modalidades, é só escolher aquela que você mais se identifica, pode ser dança, pilates ou hits funcionais”.

Falou tudo Juliana! Por isso o Lado B listou aqui alguns aplicativos que vão te ajudar a não ficar parado e ganhar aqueles quilinhos indesejáveis. Atualmente são várias opções, geralmente pagas,  que por conta da pandemia estão gratuitas. Não vamos dar esse mole pro coronavírus, né?

Completo - Vamos falar primeiro de um aplicativo completo e que está com parte de suas ferramentas gratuitas nesse período de pandemia, é o aplicativo da Clínica Magrass. Nele é possível cadastrar suas refeições, atividades físicas e ainda receber um feedback especializado.

Atividade física - Se questão é só atividade física tem o aplicativo Nike Training. Desenvolvido pela marca de artigos esportivos Nike, ele oferece diversos tipos de treinos gratuitos, desde força e cardio a sessões de yoga e mobilidade, para pessoas com diferentes tipos de condicionamento físico.

Já o Adidas Training fornece planos de treino individuais gratuitos, além de alguns disponíveis apenas para as contas premium. Ao fazer o registro, o app pergunta se seu objetivo é entrar em forma, estar saudável, ganhar músculos ou emagrecer e qual a intensidade de treino desejada, para que as sugestões de treino sejam personalizadas.

Alongamento - Exercícios de alongamento também são ideais para quem deseja aumentar a flexibilidade do corpo. Disponível com o nome Exercícios de Alongamento na Google Play e como Alongamento & Flexibilidade na App Store, o app disponibiliza séries de alongamentos para o dia-a-dia, alívio de dor, corridas e partes específicas do corpo.

Yoga - O Down Dog é um aplicativo de yoga pago que está com acesso gratuito até primeiro de julho devido à pandemia de covid-19. As atividades são guiadas por vídeos e áudios explicativos, e o usuário tem acesso a mais de 60 mil configurações de diversos tipos de práticas de yoga, como Vinyasa, Hatha, Suave, Restauradora, Yin, Ashtanga, Cadeira e Saudação ao Sol. Também é possível selecionar outras preferências como nível da atividade, tempo de duração, música, ritmo e modo de instrução.

Vale ressaltar que é importante consultar profissionais da área da saúde, como educadores físicos, antes de realizar exercícios sozinho em casa, para avaliar seu condicionamento físico e evitar lesões durante os treinos. Todos os aplicativos estão disponíveis para celulares Android e iPhone (iOS) e fornecem treinos em português.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário