A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

06/12/2017 08:23

Mais que um tanquinho, técnica espanhola promete barriga negativa em 3 meses

Agora a nova moda e buscar um abdômen abaixo de zero

Thais Pimenta
Exercícios são realizados em etapas. (Foto: LPF)Exercícios são realizados em etapas. (Foto: LPF)

Enquanto para eles a moda é manter o “dad body” (corpo de pai), com as curvas livres e a famosa pancinha de cerveja, para elas os padrões difíceis de serem alcançados, como a “barriga negativa”, continuam bombando pelo mundo.

Bastou a top model sul-africana Candice Swanepoel aparecer de biquíni em um ensaio fotográfico para a Victoria's Secret e todas passaram a rejeitar o antigo tanquinho para desejar as gordurinhas abaixo de zero.

Candice sua barriga negativa. (Foto: Divulgação)Candice sua barriga negativa. (Foto: Divulgação)

A busca fez com que fossem resgatadas curiosas técnicas específicas para trabalhar os músculos abdominais. A LPF (Low Pressure Fitness) já existia na Espanha há 30 anos, mas o método era chamado de Abdominal Hipopressivo. Em Campo Grande, nos dias 16 e 17 deste mês, um curso de formação sobre a técnica será ministrado pela curitibana Verônica Motta.

Master Coach em LPF, ela diz que essa nova escola alia trabalhos de postura e respiração. “É feito o reposicionamento dos órgãos internos, e um fortalecimento da musculatura profunda, do Transverso e o Oblíquo, que nada mais são que o nosso próprio cinturão natural”, explica.

Esses músculos trabalhados da maneira correta afinam muito a linha da cintura, além de trazer benefícios para além da estética, como pontua ela. “A LPF não visa só a beleza da barriga, ela recupera quadros de diástese, de incontinência urinária e alivia dores nas costas, porque a base da técnica vem do RPG (Reeducação Postural Global)”.

As mulheres ainda são as que mais se interessam mas homens também podem praticar. O LPF é realizado por meio de um ritmo respiratório específico e controlado, combinado com posturas isométricas e uma sucção do abdômen em apnéia que se adapta às necessidades de cada indivíduo. 

A aula tem duração de 30 minutos, composta por uma sequência de posturas em pé, ajoelhada, sentada e deitada. É dividida em três níveis e o grau de dificuldade das posturas vão se intensificando conforme as etapas. Ao todo são 12 sessões de LPF.

Reproduzindo de forma correta, os exercícios prometem redução de 4 a 12 centímetros na circunferência do abdomen. "Ele reduz medidas, não emagrece. Mesmo finalizando todas as etapas é preciso continuar praticando em casa para manter os rersultados", explica Verônica.

LPF é realizado por meio de um ritmo respiratório controlado. (Foto: Divulgação)LPF é realizado por meio de um ritmo respiratório controlado. (Foto: Divulgação)

O método pode ser trabalhado em academias de ginástica, estúdios de fisioterapia, pilates e clínicas. “A exigência é que os profissionais estejam aptos a ministrar o LPF. É necessária uma certificação, recebida após participação nos três módulos da marca”, detalha.

Campo Grande ainda não possui profissionais aptos para oferecer o LPF. Por enquanto em Mato Grosso do Sul só o município de Dourados têm clínicas especializadas.

Na Capital, o curso de Verônica será nos dias 16 e 17 deste mês, no Studio Liv Pilates, localizado na Rua Antônio maria Coelho, 3.776. Além dele, a Master Coach oferece um workshop aberto ao público, no valor de R$ 150, no sábado em Campo Grande, na Arquitetura do Corpo.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.