ACOMPANHE-NOS    
MAIO, DOMINGO  09    CAMPO GRANDE 21º

Sabor

Empada que pagaria intercâmbio deu tão certo que sonho foi adiado

Fernanda e Thaís começaram fazendo empada em uma kitnet para viajarem, agora atendem de 3 formas diferentes

Por Lucas Mamédio | 16/04/2021 08:56
Thaís e Fernanda com as empadas assadas (Foto: Paulo Francis)
Thaís e Fernanda com as empadas assadas (Foto: Paulo Francis)

Duas amigas de Campo Grande, Fernanda Oliveira Pereira, de 33 anos, e Thaís Velozo Mansano, de 30, tinham um sonho: fazer intercâmbio e conhecerem outros lugares do mundo. Aliás, elas ainda têm, mas por enquanto estão voltadas para um negócio próprio, cujo sucesso foi o responsável pela interrupção dessa vontade de se aventurar.

As duas são donas da Empadonha, uma loja especializada em empadas lá na Vila Gomes. O local também é onde elas moram, uma casinha amarela super aconchegante, onde é possível comer ali ou levar as empadas para casa, se assim o cliente optar.

Tudo começou com Fernanda. Ela criou uma receita de empada em 2013 para colocar como opção na loja de suco do pai. “Eu busquei criar uma empada que a massa não esfarela tanto, mas que derrete na boca. Daí criei essa receita e vendia muito bem”, conta.

Casa onde moram também é o local onde fazem as empadas e atendem a clientela. (Foto: Paulo Francis)
Casa onde moram também é o local onde fazem as empadas e atendem a clientela. (Foto: Paulo Francis)
Fernanda tirando uma fornada de empadas no fim da tarde de ontem, dia 15 de abril (Foto: Paulo Francis)
Fernanda tirando uma fornada de empadas no fim da tarde de ontem, dia 15 de abril (Foto: Paulo Francis)

Em 2019, quando já não trabalhava mais com o pai, Fernanda viajou com Thaís para um curso no Rio de Janeiro. Na volta, trouxeram como bagagem uma decisão: ganhar dinheiro com algum negócio e usar esse dinheiro para financiar o intercâmbio.

“Como eu já tinha minha experiência com a empada, foi meio natural escolhermos esse produto”, explica Fernanda.

No final de 2019 as duas alugaram uma kitnet e começaram a vender empadas congeladas. As encomendas cresceram, tiveram que investir num freezer maior, logo em seguida mudaram para um segundo lugar, até que se mudaram de novo para a atual localização, onde também moram.

“O negócio foi crescendo de um jeito que não esperávamos, então tivemos que ir aumentando nossa capacidade de produzir e vender”.

Aqui, empada de carne seca; segundo as amigas, a massa é "bem molhadinha" (Foto: Paulo Francis)
Aqui, empada de carne seca; segundo as amigas, a massa é "bem molhadinha" (Foto: Paulo Francis)

A casa onde estão nesse momento foi adaptada para servir empada no local também, além da possibilidade de comprar congelada, levar para comer em casa ou pedir pelo delivery.

Thaís conta que o cheiro das empadas foi o ponto de partida para decisão de vender ali mesmo. “Sempre quando estávamos assando os vizinhos e quem passava por aqui perguntava se nós vendíamos, então decidimos abrir”.

São três sabores disponíveis para pacote com quatro unidades: frango (que custa R$ 14,00), palmito (no valor de R$ 16,00) e carne seca (por R$ 20,00). As unidades quentes vendidas na hora custam R$ 5,00 – palmito e frango – e R$ 6,00 se for a de carne seca.

O intercâmbio que seria realizado esse ano foi apenas suspenso segundo Thaís. “Nós ainda vamos viajar, mas estamos concentrado agora em fazer nosso negócio dar mais certo do que já está dando”.

Saiba mais sobre as empadas de Thaís e Fernanda via perfil no Instagram.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário