ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 30º

Meio Ambiente

Área queimada do Pantanal em agosto equivale a 30 vezes o tamanho da Capital

Levantamento do Campo Grande News mostra, inclusive, que área incendiada corresponde a nove vezes a soma de todas as cidades de MS

Guilherme Correia | 10/09/2020 16:22
Brigada combate as chamas altas no Pantanal de Corumbá.(Foto: PrevFogo)
Brigada combate as chamas altas no Pantanal de Corumbá.(Foto: PrevFogo)

Somente no mês de agosto, 10.179 km² (quilômetros quadrados) do bioma do Pantanal foram consumidos por chamas, segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Isso equivale a pouco mais de 30 vezes a área urbana de Campo Grande, que possui aproximadamente 332 km².

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

A área queimada somente no último mês equivale também a 5,4 vezes a soma do tamanho das duas maiores cidades do Brasil, São Paulo e Rio de Janeiro. Conforme levantamento da plataforma GeoInfo, vinculada à Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) a capital paulista tem 949,6 km², enquanto a capital carioca tem 925,3 km².

Ainda comparando com total de zonas urbanas, seria pouco mais de 9 vezes superior à todas as cidades sul-mato-grossenses somadas, que juntas totalizariam aproximadamente 1050,6 km², segundo o levantamento.

O total de área queimada do Pantanal, registrada no ano de 2020, foi de 18.646 km², mas agosto se destacou como o mês com maior registros de vegetação pantaneira tomada pelo fogo. Se considerar tudo o que foi queimado, totalizariam cerca de 56 vezes o tamanho da Capital.

Pantanal em chamas - De acordo com publicação da ONG (Organização Não Governamental) Ecoa, o ano de 2020 é o "mais trágico" para o Pantanal, sua biodiversidade e populações urbanas e rurais. Os "recordes batidos" na quantidade de vegetação afetada são causados majoritariamente pela ação humana, segundo a organização.

Imagem de satélite mostra redução no nível da água (Imagem: Reprodução/Mario Luis Assine)
Imagem de satélite mostra redução no nível da água (Imagem: Reprodução/Mario Luis Assine)

98% dos incêndios na região presente no Brasil, Bolívia e Paraguai aconteceram devido à limpeza de pastagens. A publicação ressalta que mesmo com disponibilidade de imagens de satélite que identificam autores dos crimes ambientais, a fiscalização nem sempre chega a todos.

Fatores climáticos também influenciam na grande quantidade de queima, já que houve expressiva redução das "áreas de inundação" dos rios pantaneiros, devido à falta de chuva, o que ocasionou em mais espaço para desmatamento.

Além disso, fortes ventanias e baixa umidade do ar na Bacia do Alto Paraguai, que corta Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, também são fatores determinantes para a facilidade na propagação do fogo.

Altura do Rio Paraguai, em Corumbá, teve decréscimo expressivo; foto registrada em agosto mostra grande quantidade de fumaça ao fundo (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Altura do Rio Paraguai, em Corumbá, teve decréscimo expressivo; foto registrada em agosto mostra grande quantidade de fumaça ao fundo (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Nos siga no Google Notícias