A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017

18/06/2017 13:35

Baixa umidade do ar intensifica queimadas e problemas respiratórios

Viviane Oliveira e Richelieu de Carlo
Área de 200 metros quadrados foi consumida pelo fogo (Foto: Marcos Ermínio) Área de 200 metros quadrados foi consumida pelo fogo (Foto: Marcos Ermínio)
José Alberto teve que fazer pelo menos três sessões de inalação para pode respirar melhor (Foto: Richelieu de Carlo)José Alberto teve que fazer pelo menos três sessões de inalação para pode respirar melhor (Foto: Richelieu de Carlo)

A três dias do inverno, a população já sente na pele as consequências da baixa umidade relativa do ar, que deve ficar em torno dos 35% na tarde deste domingo em Campo Grande, conforme o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). O recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) é de 60%.

Pessoas com doenças respiratória e cardíacas, crianças e idosos são os que mais sofrem com a baixa qualidade do ar. Os sintomas são: dificuldade para respirar, tosse seca, cansaço, ardor nos olhos, nariz e garganta.

Vindo de Tupã, no Estado de São Paulo, o representante comercial José Alberto, 61 anos, mora há 1 ano e meio na Capital e conta que começou a sentir os efeitos do tempo seco há pouco tempo.

“Morei durante 10 anos no município paulista e ainda não tinha sofrido com problemas respiratórios. Desde ontem comecei a sentir dificuldade para respirar. Não consegui dormir à noite com o nariz trancado. Hoje de manhã, por volta das 9h, procurei atendimento médico no posto de saúde do Bairro Tiradentes”, diz.

José Alberto teve que fazer pelo menos três sessões de inalação para conseguir respirar melhor. “É por causa do tempo seco. O médico prescreveu soro fisiológico para desobstruir as veias respiratórias e mandou consumir bastante liquido”, conta.

Como se não bastasse a baixa qualidade do ar, as queimadas também aumentam nesta época do ano, o que prejudica ainda mais a saúde. Somente na manhã deste domingo (18), o Corpo de Bombeiros atendeu pelo menos cinco casos de fogo em terreno baldio.

Uma das queimadas registradas foi em um espaço vazio de cerca de 200 metros quadrados à margem no pontilhão da Avenida Salgado Filho com a Presidente Ernesto Geisel. Por lá, o fogo se espalhou rapidamente por causa do mato seco. A fumaça chegou a atrapalhar o trânsito no entorno. A corporação lembra que colocar fogo em terreno, lixo ou em qualquer objeto é crime ambiental. 

O inverno em Mato Grosso do Sul começa às 00h24 do dia 21 de junho, quarta-feira (21). O período mais gelado, da estação que termina no dia 22 de setembro, está previsto para ocorrer entre 5 a 17 de julho.

Cuidados - Umidificar o ambiente com aparelhos específicos ou de forma caseira, com baldes e toalhas molhadas são uma das soluções indicadas para melhorar o ar, segundo a Sesau (Secretária Municipal de Saúde. Além disso, a população deve evitar colocar fogo em lixo e terreno baldio.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions