ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 20º

Meio Ambiente

Câmara aprova proibição de corte de árvores com ninhos de arara-canindé

Medida também vale para as vermelhas e visa proteger as espécies

Kleber Clajus | 17/07/2018 14:07
Arara no alto de ninho, que passa a ser protegido
contra corte ou remoção (Foto: Vinícius Santana)
Arara no alto de ninho, que passa a ser protegido contra corte ou remoção (Foto: Vinícius Santana)

Os vereadores aprovaram, nesta terça-feira (17), projeto que proíbe remoção ou corte de árvores com ninhos de arara-canindé, em Campo Grande. A medida visa proteger a ave símbolo da cidade, assim como a vermelha, e exigirá que casos excepcionais contem com laudo técnico da Semadur (Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Gestão Urbana). O texto agora segue para análise e sanção do prefeito Marquinhos Trad (PSD).

No texto, elaborado por João César Mattogrosso (PSDB) e Gilmar da Cruz (PRB), se justifica ser algo "comum vermos casos onde as aves são forçadas a se retirarem de seus ninhos por mãos humanas, propiciando ainda mais sua extinção".

Ambas as espécies, no entanto, ainda não correm o risco de desaparecer. Mesmo assim, a ideia dos vereadores pretende assegurar cuidados adicionais com os ovos depositados no tronco de árvores durante o período reprodutivo das aves, em geral no segundo semestre do ano. Assim, até estruturas mortas ficam protegidas contra o corte e só podem ser removidas depois de solicitação e emissão de laudo técnico por fiscais da Semadur.

De acordo com o Plano Diretor de Arborização Urbana da Capital, a punição para os casos de poda ou remoção irregular de árvores pode chegar a R$ 15,8 mil. Já solicitar autorização para isso exige protocolo na Central de Atendimento ao Cidadão (na Rua Marechal Candido Mariano Rondon, 2655) para gerar a vistoria e emissão laudo que permita ou não o corte.

Nos siga no Google Notícias