ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 19º

Meio Ambiente

Em Bonito, moradores tem sucuri gigante de vizinha e macaco-prego ladrão de ovos

Bairro Solar dos Lagos mostra que é possível humanos conviverem harmoniosamente com animais silvestres

Gabrielle Tavares | 28/02/2023 17:53

A convivência pacífica entre humanos e animais silvestres no Bairro Solar dos Lagos, em Bonito, a 257 km de Campo Grande, mostra que é possível uma coabitação harmoniosa na natureza, desde que os animais racionais usem a consciência.

O condomínio de alto padrão foi construído onde era o antigo balneário municipal, conhecido como "calcarinho". Os lotes são rodeados por lagos que deságuam nos rios de Bonito.

A abundância de água resulta em um verdadeiro safári pantaneiro: sucuris gigantes, antas, tamanduá-bandeira, veado-catingueiro, macaco-prego, tatu, cotia; além das aves, araras, papagaios, seriemas, entre outros.

Em fevereiro é comum as sucuris passarem pelos cursos d'água que permeiam o condomínio para acessarem os rios do Parque Nacional da Serra da Bodoquena. Tanto que no intervalo de quatro dias, o Campo Grande News noticiou duas aparições no Solar dos Lagos: uma estava atravessando uma rua em meio a uma chuva torrencial, a outra estava curtindo um dia de sol em meio ao capim.

O médico veterinário Ronalde Rosa mora no local há quase quatro anos e ressalta que é preciso ser realista e que a rotina dos moradores não conta apenas com paisagens lindíssimas e seres exóticos.

"A convivência harmônica exige que você saiba onde você está. Quer morar perto de um lago, mas quem quer lago, tem que viver com sucuri. Quem quer borboleta tem que viver com lagarta", relata.

Ele comenta que já saiu para passear com sua cadela e quase cruzou o caminho de uma cobra, por exemplo. "Essa semana eu estava passeando e uns meninos que moram no bairro vieram me falar que tinha uma sucuri lá no cantinho, mas até eu chegar lá ela já tinha sumido".

Também não é difícil um cachorro desavisado virar comida de sucuri. Por isso, nos meses de janeiro e fevereiro, que é mais comum ver as cobras no condomínio, os tutores criaram uma forma de alertar uns aos outros. "A gente avisa no grupo do bairro se vê algum cachorro solto, porque no início do ano é perigoso", apontou Ronalde.

"Tem que gostar, eu gosto. Se você vai construir uma casa perto de uma área de floresta e um dia um macaco roubar seus ovos, é uma lição, acontece, não dá para reclamar", alertou.

Para os bichos, o maior perigo de transitar pela região é a rodovia que passa próximo dali. A taxa de atropelamento dos animais é alta e muitos perdem a vida tentando atravessar o asfalto para chegar até a Serra da Bodoquena.

"Uma alternativa seria colocar cercas ao longo da rodovia, túnel subterrâneo ou uma passarela, alguma alternativa pro bicho atravessar. Mas os motoristas também precisam dirigir com cuidado", explicou o veterinário.

Sucuri tomando sol no Solar dos Lagos. (Foto: Direto das Ruas)
Sucuri tomando sol no Solar dos Lagos. (Foto: Direto das Ruas)


Nos siga no Google Notícias