ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 23º

Meio Ambiente

Governo vai reconstruir ponte destruída pelos incêndios em Corumbá

Foi feita contratação emergencial de empresa para realizar obra na Estrada Parque

Leonardo Rocha | 06/11/2020 12:36
Ponte queimada durante os incêndios florestais no Pantanal (Foto: Silvio de Andrade - Governo MS)
Ponte queimada durante os incêndios florestais no Pantanal (Foto: Silvio de Andrade - Governo MS)

O governo estadual fez nova contratação emergencial para substituir ponte de madeira, que foi destruída durante os incêndios florestais no Pantanal. Desta vez a troca será sobre o Corixo da Baía Negra, que fica na “Estrada Parque”, em Corumbá.

Para a obra foi contratada a empresa GSA Construções Ltda, pelo valor de R$ 863.576,24, com recursos advindos do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul).

Ela terá que colocar uma ponte de madeira em vigamento simples, com previsão de entrega até o dia 24 de janeiro. O contrato entre o governo estadual e a empresa foi assinado no dia 04 de novembro, sendo publicado hoje (06), no Diário Oficial do Estado.

Destruída – A ponte foi destruída em agosto deste ano, durante os incêndios florestais que ocorreram na região, que passaram pelos campos de fazenda até chegar na rodovia MS-228, onde fica a “Estrada Parque”.

Nesta ocasião grande parte da estrutura da ponte virou “cinzas”, enquanto que a vazante acumulou água no seu entorno. Na época, técnicos da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) foram informados por moradores que o fogo foi levado pelos fortes ventos da Baía Negra, localizada em Ladário.

O governo estadual divulgou que as chamas chegaram até a estrada e impediram inclusive ao cesso dos bombeiros de Corumbá até a ponte. O tráfego neste trecho teve desvio pelas terras de uma fazenda local. A reconstrução da travessia será feito em caráter emergencial, já que muitos fazendeiros e produtores usam o local para escoamento de bovinos para a região do Planalto.

Nos siga no Google Notícias