A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017

21/10/2017 14:03

Ministro confirma que MS terá prioridade para receber nova verba

Ao todo, o governo federal espera arrecadar R$ 6 bilhões com refinanciamento de multa ambiental

Mayara Bueno, da redação, e Osavaldo Junior, de Miranda
Ministro interino do Meio Ambiente, Marcelo Cruz, durante agenda em Miranda. Ministro interino do Meio Ambiente, Marcelo Cruz, durante agenda em Miranda.

Mato Grosso do Sul será o primeiro contemplado pelo governo federal com parte de R$ 4,6 bilhões, afirmou o ministro interino do Meio Ambiente, Marcelo Cruz, neste sábado. Ele está, junto com o presidente da República, Michel Temer (PMDB), em Miranda, onde ocorre o II Encontro Carta Caiman.

A União vai fazer uma espécie de Refis para garantir o recebimento de dívidas de multas ambientais. O governo espera, ao todo, arrecadar R$ 6 bilhões com a medida. O primeiro edital deve ser de R$ 4,6 bilhões, mas existe a expectativa de arrecadação de outros R$ 1,5 bilhão.

O valor destinado ao Estado, como já havia previsto o secretário da Semagro (Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, será para retomar projetos de recuperação do rio Taquari, no Pantanal, que há décadas sofre com a degradação e o assoreamento.

Os créditos que serão renegociados são de penalidades junto ao Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais) e de outro órgão.

Programação - A agenda divulgada pelo Planalto previa que, ao meio-dia, o presidente participasse da Cerimônia de Encerramento do II Encontro Carta Caiman, um protocolo prevendo ações para o Pantanal em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Em outubro de 2016, o Pantanal “passou a ser único” para as duas administrações estaduais com a criação de grupo de trabalho para discutir ações integradas para preservar o bioma e promover o desenvolvimento econômico e social na região na planície.

Ainda conforme a divulgação da Presidência, às 13 horas o presidente almoça e às 15h30 volta para Brasília. A assessoria de comunicação da presidência havia dito que, antes de deixar o Estado, Temer poderia conceder entrevista à imprensa.

 

Evento em Miranda marcou assinatura da medida. (Foto: Marcos Ermínio)Evento em Miranda marcou assinatura da medida. (Foto: Marcos Ermínio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions