ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  19    CAMPO GRANDE 30º

Meio Ambiente

Para evitar problema maior, Prefeitura reavalia obras em córrego

Caixa de retenção de água no João Português integra etapa do Complexo Mata do Jacinto e tem objetivo de evitar inundações

Por Izabela Sanchez e Mirian Machado | 13/12/2018 10:56
Manilhas abandonadas onde será construída caixa de contenção, na Avenida Mato Grosso com a Rua Hiroshima (Foto: Marina Pacheco)
Manilhas abandonadas onde será construída caixa de contenção, na Avenida Mato Grosso com a Rua Hiroshima (Foto: Marina Pacheco)

Parte da Etapa D do Complexo Mata do Jacinto, a obra do “piscinão”, uma caixa de retenção de águas no córrego Joaquim Português, na Avenida Mato Grosso com a Rua Hiroshima está paralisada desde setembro. Executada pela Prefeitura de Campo Grande, a obra precisou de mais estudos, já que o projeto inicial se tornou inviável.

É o que explicou o secretário-adjunto da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), Ariel Serra, explicou que, no momento, a administração realiza novos estudos para decidir de que forma a bacia será construída.

O projeto inicial previa a construção de uma bacia de detenção com 20 mil metros quadrados forrada com muros de contenção tipo gabião, com capacidade para 30 mil metros cúbicos de água. A altura do lençol freático, explicou o secretário, prejudicou o projeto e a construção poderia causar desmoronamentos no local.

“A obra está paralisada aguardando definição de projeto que está sendo refeito, o lençol freático está bastante alto, mas já está sendo revisado para poder ser retomada. A etapa D compreende a pavimentação asfáltica de toda aquela região. Inclusive a bacia de retenção, mas estamos aguardando a finalização. Estamos em período de estudos, tão logo seja concluído os estudos, vamos retomar. Como o lençol freático é alto, ia causar problemas de desmoronamento, por isso foi pedido pra ser revisado”, explicou.

O objetivo da oba é represar a água do escoamento da chuva, para soltá-la de forma gradual. Dessa forma a enxurrada não desaba com força, de uma vez. Quando isso ocorre, a água se acumula no entorno da Via Parque.

Obras – A etapa D do Complexo Mata do Jacinto previa a abertura de uma nova via de acesso no Parque dos Poderes, com instalação de rede e tubulação de drenagem e a construção de bacia de contenção para reter a enxurrada. Segundo o secretário, a bacia de contenção é a única parte do projeto que precisa ser finalizada.

As obras somam recursos de R$ 13,3 milhões - R$ 3,3 milhões do governo do Estado – contrapartida a recursos federais do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O problema de inundação foi intensificado após o asfaltamento em bairros na região – como o Jardim Futurista, Danúbio Azul e parte da Mata do Jacinto.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário