ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SEGUNDA  04    CAMPO GRANDE 23º

Meio Ambiente

Queda em apreensões mostra que MS está ganhando consciência ambiental

Renata Volpe Haddad | 05/06/2015 16:31
Fauna pantaneira é composta por 132 espécies de mamíferos e 113 espécies de répteis.(Foto: Marcelo Calazans)
Fauna pantaneira é composta por 132 espécies de mamíferos e 113 espécies de répteis.(Foto: Marcelo Calazans)
Segundo Ministério do Meio Ambiente, uma das características do bioma pantaneiro é que muitas espécies ameaçadas em outras regiões, persistem em população avantajadas no Pantanal.(Foto: Marcelo Calazans)
Segundo Ministério do Meio Ambiente, uma das características do bioma pantaneiro é que muitas espécies ameaçadas em outras regiões, persistem em população avantajadas no Pantanal.(Foto: Marcelo Calazans)

O acesso a informação, aliado a conscientização ambiental, tem garantido cuidado com o Meio Ambiente. Nos últimos anos, o número de pessoas que se preocupam com a preservação, conhecem as leis e denunciam crimes ambientais aumentou, proporcionando drástica redução no número de apreensões nos últimos anos. Quando se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, os desafios continuam, mas Mato Grosso do Sul já tem o que comemorar.

De acordo com o major da PMA (Polícia Militar Ambiental), Edmilson Queiroz, o acesso a informações contribui para que a questão ambiental seja priorizada. “Existe sim gente gananciosa, sempre acontece crime ambiental, mas em Mato Grosso do Sul é bem menor do que vemos acontecer em outros Estados”, completa.

Ele lembra que na década de 80, quando a PMA foi criada, era comum apreender mais de 120 toneladas de peixes. “Atualmente, nossa maior apreensão é de 4 toneladas e isso graças as denúncias que a população faz, porque grande parte das apreensões feitas se deve a ligação das pessoas nos passando informações com muita indignação”, comenta.

Mato Grosso do Sul é um estado beneficiado por suas belezas ambientais e se de dois importantes paraísos ecológicos, o Pantanal e Bonito. Juntos, os biomas são responsáveis por atrair milhões de turistas todos os anos, que viajam para se encantar com a diversidade infinita de fauna e flora, existente por aqui.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, o Pantanal é considerado uma das maiores extensões úmidas contínuas do planeta. O bioma mantêm 86,77% de sua cobertura vegetal nativa. Desses, 52,60% são cobertos por savana que é o cerrado e 17,60% são ocupados por áreas de transição ecológica.

Espécies - Ainda segundo o Ministério do Meio Ambiente, uma característica interessante do bioma pantaneiro é que muitas espécies ameaçadas em outras regiões do Brasil persistem em populações avantajadas como é o caso do tuiuiú – ave símbolo do Pantanal. Estudos indicam que o bioma abriga os seguintes números de espécies catalogadas: 263 espécies de peixes, 41 espécies de anfíbios, 113 espécies de répteis, 463 espécies de aves e 132 espécies de mamíferos sendo 2 endêmicas.

Segundo a Embrapa Pantanal, quase duas mil espécies de plantas já foram identificadas no bioma e classificadas de acordo com seu potencial, e algumas apresentam vigoroso potencial medicinal.

Desafios para o Estado – Conforme o presidente do Imasul e secretário de Estado da Semad (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico), Jaime Verruck, o lançamento do plano estadual de resíduos sólidos está atrasado, de acordo com a legislação. “Acredito que o levantamento de todas as bacias hidrográficas já está sendo concluído e outro desafio do governo é a questão da outorga da água que precisa justamente deste levantamento e essa é outra questão para 2015 que está alinhado com o SOS Rios”, comentou no lançamento da Campanha de Educação Ambiental, que aconteceu nesta semana.

O SOS Rios foi implantado em 2008 com objetivo de recuperar a área de preservação permanente e regularizar a reserva legal, e de lá para cá, já foram assinados pelo Ministério Público Estadual, 810 termos de ajustamento de conduta, referente a 45 municípios de Mato Grosso do Sul, com um total de 1.200 mil propriedades cadastradas, preservando mais de 1.500 mil km de rios, com 18 rios e 10 córregos.

Com o passar dos anos, os crimes ambientais diminuíram graças as denúncias feitas pela população.(Foto: Marcelo Calazans)
Com o passar dos anos, os crimes ambientais diminuíram graças as denúncias feitas pela população.(Foto: Marcelo Calazans)
Nos siga no Google Notícias