ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 28º

Meio Ambiente

Sinfonia da Sobrevivência: documentário retratará queimadas de 2020 no Pantanal

Filme ainda está sendo finalizado e não tem data de estréia, mas algumas cenas já foram adiantadas em novela

Por Gabrielle Tavares | 05/08/2022 14:49
Floresta em chamas as margens do Rio Paraná, fronteira entre Mato Grosso do Sul e São Paulo. (Foto: @michelcoeli)
Floresta em chamas as margens do Rio Paraná, fronteira entre Mato Grosso do Sul e São Paulo. (Foto: @michelcoeli)

Em 2020, as queimadas que atingiram o Pantanal queimaram cerca de 4 milhões de hectares e destruíram 26% do bioma. A tragédia ganhou repercussão nacional e internacional, o que motivou o documentarista Michel Coeli a produzir um longa sobre o assunto.

Produzido de forma totalmente independente, "Sinfonia da Sobrevivência" está sendo finalizado e será lançado em breve, mas a data de lançamento ainda não foi divulgada.

Algumas cenas do documentário já foram adiantas na novela Pantanal, quando a dramaturgia implementou o problema anual dos incêndios na história.

"Feliz por contribuir com a novela e poder ajudar contar essa história que foi e é muito dramática", publicou Coeli em seu Instagram.

No site de divulgação, o documentarista explica que foi testemunha imersiva da luta dos animais por sobrevivência em busca de água e comida após os incêndios.

"Sinfonia da Sobrevivência é um documentário necessário e urgente, que propõe ao espectador uma reflexão sobre a nossa relação com o meio ambiente, em especial ao Pantanal e seu ecossistema, os grandes personagens do filme", detalha.

Por fim, Coeli detalha que mesmo a preservação da natureza sendo uma pauta importante, as florestas, rios e animais ainda sofrem com a exploração humana.

PantanalA estação úmida do bioma, que conecta lagoas e forma ampla área alagada, costuma ocorrer entre os meses de outubro e março, enquanto a seca se estende de abril a setembro.

De janeiro a julho, o Pantanal já perdeu mais área por incêndios que no mesmo período, no ano passado. O aumento no território queimado foi de aproximadamente 29%, de 99,5 mil para 128,9 mil hectares, segundo o Lasa (Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais) da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Em 2021, os Ministérios Públicos de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul apontaram que a maior parte (60%) das queimadas no bioma, que resultaram em "impactos incalculáveis à biodiversidade, à saúde humana e à economia", têm como principal hipótese uma ligação com atividades agropastoris.

Bombeiros contendo chamas no Pantanal. (Foto: michelcoeli)
Bombeiros contendo chamas no Pantanal. (Foto: michelcoeli)
Bombeiros contendo chamas no Pantanal. (Foto: michelcoeli)
Bombeiros contendo chamas no Pantanal. (Foto: michelcoeli)
Bombeiros cuidando de animais no Pantanal. (Foto: michelcoeli)
Bombeiros cuidando de animais no Pantanal. (Foto: michelcoeli)


Nos siga no Google Notícias