A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

19/03/2019 11:48

Além de economia, carga horária em 8h é para atender cidadão, diz Riedel

Governo de Mato Grosso do Sul entregou o PDV (Plano de Demissão Voluntário) à Assembleia Legislativa de MS

Mayara Bueno e Leonardo Rocha
Secretário de Governo, Eduardo Riedel, durante entrevista na Assembleia Legislativa de MS, após entrega do PDV. (Foto: Leonardo Rocha).Secretário de Governo, Eduardo Riedel, durante entrevista na Assembleia Legislativa de MS, após entrega do PDV. (Foto: Leonardo Rocha).

O secretário de Governo de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, a retomada da jornada de 8 horas dos servidores é, principalmente, para melhorar o atendimento à população. Na Assembleia Legislativa para entregar o PDV (Plano de Demissão Voluntária) nesta terça-feira (dia 19), o titular explicou que a economia com a redução das horas extras é importante, mas não o principal motivo da mudança.

Com vigência a partir de 1º de julho, o decreto sobre a carga horária de trabalho foi publicada hoje no Diário Oficial do Estado. “É uma forma de restabelecer o horário de atuação”, explicou Riedel. A medida foi aplicada após reclamações da população sobre a prestação de serviços em algumas unidades que até então trabalham seis horas.

“Eles [servidores] acabavam ficando mais e fazendo hora extra. É importante grar economia, mas o principal objetivo é melhorar os serviços”. Sem detalhar, o secretário afirmou que algumas categorias terão flexibilidade em relação ao cumprimento das 8 horas.

Sobre deixar a mudança para o segundo semestre, o secretário ressaltou que a decisão foi tomada após ouvir os funcionários públicos e dar a eles o tempo para adequação de suas rotinas. Apesar de ser assuntos diferentes, o PDV e a jornada em 8 horas “tem conexão”. Caso não se adeque, afirma, o servidor poderá aderir ao plano com condições vantajosas.

O deputado Rinaldo Modesto (PSDB) concorda com a retomada da carga de trabalho, justamente por voltar ao que era previsto nos editais dos concursos pelos quais os servidores prestaram. Já Pedro Kemp (PT) acredita que as 8 horas só prejudicam o funcionário, que já tem rotina estabelecida e, muitas vezes, outras formas de ganhar dinheiro.



Não sabemos de onde o Governo achou que nós cidadãos queremos que a máquina gaste mais de nossos impostos e recursos para manter 8 horas em detrimento de 6 hs, estavam economizando ar condicionado, agua, cafezinho, energia, etc...essa historinha de 6 pra 8 deve ser para dar ticket alimentação ou vale transporte para os servidores...pois o cidadão sempre foi atendido em 6 horas numa boa...pra quê gastar mais para manter por 8 horas ??? para o cidadão ter que ficar esperando o servidor terminar o almoço pra ser atendido ?
 
Eddie Alessandro Miranda Carvalho em 19/03/2019 16:54:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions