A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

24/07/2018 17:24

Apesar de liminar ser negada, MDB insiste em candidatura de Puccinelli

Dirigentes do partido reiteram que ex-governador, mesmo preso na Lama Asfáltica, é o indicado para disputar o Executivo estadual neste ano

Humberto Marques e Liniker Ribeiro
Ex-governador continua no Centro de Triagem Anizio Lima. (Foto: Liniker Ribeiro)Ex-governador continua no Centro de Triagem Anizio Lima. (Foto: Liniker Ribeiro)

Mesmo com a negativa para o pedido liminar de liberdade de André Puccinelli, o MDB mantém o ex-governador como seu candidato ao Parque dos Poderes nas eleições deste ano. A afirmação partiu de emedebistas ouvidos pelo Campo Grande News nesta terça-feira (24), horas depois de o desembargador federal Maurício Kato, do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) manter a prisão de Puccinelli e outros dois investigados na Operação Papiros de Lama –a quinta fase da Lama Asfáltica.

O ex-governador foi preso na sexta-feira (20) ao lado do filho, André Puccinelli Junior, e do advogado João Paulo Calves, atendendo a pedido do MPF (Ministério Público Federal) em processo que apura ocultação de bens e lavagem de dinheiro envolvendo o Instituto Ícone –registrado em nome de Calves mas que pertenceria a Puccinelli Junior, e sobre o qual pairam suspeitas de uso para recebimento de propinas. As prisões foram decretadas sob argumento de manutenção da ordem pública e surgimento de novos fatos, como ocultação de provas em uma quitinete no Indubrasil.

A prisão ocorreu no dia anterior à primeira data apontada pelo MDB para sua convenção estadual –21 de julho, depois adiada para 4 de agosto sob a justificativa de pedidos da bancada estadual do partido, que visava a fazer um grande ato com aliados–, fato citado pela defesa do ex-governador. Desde a prisão, porém, o MDB tem insistido que Puccinelli é o único plano para a disputa do governo.

A posição foi mantida nesta terça por Ulisses Rocha, presidente municipal do MDB de Campo Grande, segundo quem o partido já superou os debates envolvendo a candidatura. “O partido está resolvido. Não estamos mais discutindo essa questão de candidatura. Nosso candidato continua sendo o André”, afirmou, na saída do Centro de Triagem Anizio Lima –onde o ex-governador e seu filho estão presos.

Também no local, o deputado estadual George Takimoto confirmou que não foi feita reunião entre os dirigentes do MDB sobre a candidatura ao governo, “mas tudo indica que vão manter a candidatura dele (Puccinelli)”.

Sem alternativa – O presidente da Assembleia Legislativa e membro do diretório emedebista, deputado estadual Junior Mochi, afirma que não há, até aqui, nenhuma posição sobre como o partido deve proceder. Demonstrando surpresa com a negativa de liberdade no TRF-3, ele afirmou que na legenda “não discutimos outra alternativa a não ser aguardar a decisão”.

Assim como os defensores dos investigados na Papiros de Lama, no MDB era dada como certa a liberação do ex-governador. Ainda na sexta-feira (20), após as prisões, o partido reuniu a imprensa para ler comunicado no qual referendava apoio ao ex-governador. Nesta semana, previa a retomada de agendas de campanha preparando os filiados para a convenção do dia 4. E, hoje, projetava a realização de uma coletiva com o seu candidato para comentar os fatos recentes.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions