ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUARTA  08    CAMPO GRANDE 22º

Política

Após Bernal depor, Processante aprontará relatório em quatro dias

Por Zemil Rocha | 23/11/2013 10:23
Comissão Processante cancelou depoimento de Bernal em razão de decisão judicial (Foto: arquivo)
Comissão Processante cancelou depoimento de Bernal em razão de decisão judicial (Foto: arquivo)

O presidente da Comissão Processante da Câmara de Campo Grande, Edil Albuquerque (PMDB), informou que, assim que o prefeito Alcides Bernal prestar depoimento pessoal e concluir suas manifestações, em no máximo quatro dias o relatório final está concluído. A cargo do vereador Flavio Cesar (PT do B), o relatório da comissão depois será submetido ao plenário da Câmara. Caso opine pela cassação, se obtiver apoio de 20 dos 29 vereadores, Bernal terá o mandado eletivo cassado.

Em razão da decisão do desembargador João Maria Lós, da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado, os trabalhos da Comissão Processantes estão suspensos desde ontem. Na próxima segunda-feira, seria realizada, com o prefeito Alcides Bernal, a última audiência de colheita de depoimentos. “Com a decisão judicial, a oitiva do prefeito foi cancelada”, informou Edil na manhã deste sábado.

Albuquerque considera, porém, que “o trabalho está bem adiantado” e que, como todos os prazos foram cumpridos, só falta mesmo ouvir o prefeito Alcides Bernal. “Além de ouvi-lo, o prefeito tem cinco dias para poder fazer outro tipo de manifestação”, observou o vereador peemedebista.

Instalada em 15 de outubro, quando foi aprovada pelo plenário da Câmara por 21 votos a oito, a Comissão Processante já recebeu a defesa escrita do prefeito e ouviu todas as testemunhas arroladas pela acusação e defesa, exceto Gislaine Penzo, chefe da Central de Compras da Prefeitura de Campo Grande, que apresentou atestado médico neurológico para não precisar depor na quinta-feira.

“Em 40 dias evoluímos muito. Só falta agora o prefeito ser ouvido. Foram ouvidas 10 testemunhas. Só faltou a Gislaine, que prestaria um depoimento importante, mas que não compareceu alegando problemas de saúde”, avaliou o presidente da Comissão Processante.

Indagado se não caberia uma nova convocação de Gislaine Penzo, visto que os trabalhos da Comissão Processante estão suspensos e até lá ela pode estar com a saúde restabelecida, Edil Albuquerque respondeu: “Quem sabe. Podemos até convocá-lo de novo, já que vai estar boa e aí pode prestar depoimento”.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário