ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  28    CAMPO GRANDE 21º

Política

Bernal ganha adesistas, mas não reconquista Chocolate e PSDB

Por Josemil Arruda e Kleber Clajus | 14/12/2013 09:10
Chocolate diz que "nada mudou" e continua fora da base de Bernal (Foto: arquivo)
Chocolate diz que "nada mudou" e continua fora da base de Bernal (Foto: arquivo)

Embora o prefeito Alcides Bernal (PP) tenha conseguido a adesão de dois novos vereadores para a bancada governista da Câmara de Campo Grande, Paulo Siufi (PMDB) e Jamal Salém (PR), que estariam "fechadíssimos", segundo o secretário municipal de Governo, Pedro Chaves, continua sem conseguir uma efetiva reaproximação com aliados que perdeu dentro do seu próprio partido, como o vereador Waldecy Chocolate, e fruto do segundo turno da eleição na Capital, no caso o PSDB.

As tentativas do secretário Pedro Chaves de reconquistar os vereadores Waldecy Chocolate (PP) e Rose Modesto (PSDB) para a base de apoio de Bernal não tiveram sucesso até agora. Chaves chegou a dizer que já é praticamente certa a volta do PSDB. “Estamos conversando também com a Rose e está praticamente fechado”, afirmou o secretário de Governo.

Rose Modesto, porém, nega que um acordo esteja próximo e continua afirmando que o prefeito Alcides Bernal peca pela centralização na gestão administrativa. "Bernal não deu autonomia para nenhum secretário até hoje", argumentou a vereadora tucana. Para ela, o PSDB e suas propostas nunca aceitos por Bernal. "Até agora o prefeito não quis o PSDB. Desde 28 de outubro nos colocamos à disposição e não é cargo que queremos, mas que efetive ações que apresentamos em 2012", apontou.

Articuladores políticos da gestão de Bernal chegaram a oferecer para ela a Secretaria Municipal de Educação, hoje ocupada por José Chadid, que foi expulso do PSDB. Rose não quer. "Eu não vou assumir secretária no governo do Bernal por entender que se o PSDB lutou por nossa autonomia para implentar suas propostas para a educação, formuladas através do Pensando Campo Grande", afirmou. Considera ainda que como foi eleita para o Legislativo deve nele continuar, até por entender que é "mais útil lá".

Já Waldecy Chocolate, que está viajando para o interior do Estado neste sábado, garante que continua fora da base de apoio de Bernal. "Continua tudo do mesmo jeito", afirmou ele. O líder do prefeito na Câmara, Marcos Alex (PT), vem tentando convencer Chocolate a volta para a base de apoio de Bernal na Câmara. Chocolate admite que há essa possibilidade.

Indagado se voltará à base do prefeito, ele respondeu: “Se não existir essa coisa que estão expondo na mídia, de expulsão, pode ser. Eu sempre estendi a mão para o prefeito e sempre estive disposto a trabalhar a favor de Campo Grande”.

Chocolate se sentiu desprestigiado depois que o prefeito encenou nomeá-lo para a Secretaria Municipal da Juventude e depois desistiu. Além disso, em represália pelo voto de Chocolate a favor da instalação da Comissão Processante, no dia 15 de outubro, Bernal demitiu da prefeitura a esposa do vereador.

Nos siga no Google Notícias