ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 22º

Política

Bernal reage à notificação e se diz vítima de um “golpe” político

Por Kleber Clajus e Josemil Arruda | 24/12/2013 14:50
Bernal foi intimado hoje para sessão de julgamento na Câmara, na quinta-feira (Foto: Reprodução / Facebook)
Bernal foi intimado hoje para sessão de julgamento na Câmara, na quinta-feira (Foto: Reprodução / Facebook)

O prefeito Alcides Bernal (PP) reagiu em seu perfil no Facebook à notificação da Câmara de Campo Grande sobre sessão de julgamento que definirá, na quinta-feira (26), sua continuidade ou não no cargo, afirmando que se trata de um “golpe”, pois considera que o relatório final da Comissão Processante já estava pronto antes mesmo dele apresentar a defesa. A convocação veio após a Comissão Processante indicar que houve “fabricação de emergências” para favorecer empresas e solicitar a cassação do mandato do progressista.

“O que as pessoas nos falaram com indignação foi confirmado nesta manhã: o relatório pedindo cassação do prefeito eleito por mais de 270 mil eleitores já estava pronto. [..] Lamentavelmente, está claro que Campo Grande vive um golpe!!! Um golpe articulado pelo ex-prefeito de Campo Grande e o atual vice-prefeito”, diz nota. “Estou estarrecido com a rapidez dos meus adversários na Câmara Municipal”, acrescentou, mais uma vez acusando a Comissão Processante de ser uma “fraude”.

Enfático, Bernal acusou seus adversários de quererem “tomar a prefeitura, lotear a administração”. E garnte que tem provas desta articulação. “Temos provas deste golpe, onde um dos denunciantes conta seu envolvimento com estes dois cidadãos”, argumentou.

Bernal apresentou a defesa escrita ontem, às 17 horas, com relação às acusações dos seus adversários na Câmara. “E hoje, às 8 horas, recebi o relatório final e a intimação para a votação da cassação do nosso mandato de prefeito de Campo Grande a ser realizada, quinta-feira, dia 26 de dezembro, 8 horas”, relatou o prefeito, vice Facebook.

Garante que comprovou com documentos que “não houve nenhuma irregularidade ou mesmo ilegalidade”. Em pouco mais de onze meses à frente da administração de Campo Grande, segundo Bernal, se demonstrou que é possível “economizar para os cofres públicos e trabalhar com responsabilidade para manter o desenvolvimento, tendo as pessoas em primeiro lugar”.

Em tom de desabafo, Bernal disse que tem “sofrido há aproximadamente dois anos ataques diários por parte de alguns políticos, que não aceitam que façamos política (a prática do bem comum) e que o nosso povo não aguenta mais politicagem”. Tudo isso, segundo o prefeito, porque ousou “apresentar um plano de governo que prioriza as pessoas e que foi amplamente acolhido pelos eleitores da nossa capital”.

Alguns políticos e alguns veículos de imprensa, conforme Bernal, tentam desmerecer e esconder o seu trabalho. “Fingem não ver que já fizemos muito mais em onze meses, do que foi feito em anos e anos”, reclamou. “A única coisa que quero e tenho pedido é que me deixem trabalhar. Deixem que eu cumpra a missão para qual fui eleito. Deixem que eu contribua para que nossa população tenha qualidade e condições dignas de vida”, afirmou um pouco adiante.

Embora o momento seja difícil, Bernal tenta demonstrar confiança. “Sigo confiante, pois sei que respeito à lei, a transparência, a economicidade e a qualidade nos serviços e nas obras públicas. Sigo acreditando em Deus e na força do trabalho”, afirmou. Finaliza pedindo respeito à democracia: “Exijo respeito à democracia e à Constituição da República e refuto essa tentativa de golpe político”.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário