ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUINTA  30    CAMPO GRANDE 25º

Política

Cassação não resulta em demissão automática de Thaís Helena, diz Bernal

Aline dos Santos | 10/12/2013 11:32
Em defesa de Thaís Helena, Bernal defende que presidente da Câmara também fosse cassado.  (Foto: Marcos Ermínio)
Em defesa de Thaís Helena, Bernal defende que presidente da Câmara também fosse cassado. (Foto: Marcos Ermínio)

A cassação do mandato da vereadora licenciada Thaís Helena Vieira Rosa Gomes (PT) não vai resultar em demissão automática do cargo de titular da SAS (Secretaria Municipal de Políticas e Ações Sociais e Cidadania).

“Preciso ver, não sei o que aconteceu. [Ela] tem o direito de recorrer, ninguém pode ser condenado antes de transitado em julgado. Tem feito um bom trabalho administrativo. O Mário César, que tinha sido cassado, foi absolvido. Ou cassa o Mário César também”, afirmou o prefeito Alcides Bernal (PP).

Presidente da Câmara Municipal, Mário César (PMDB) foi absolvido pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral). Ontem, a corte, manteve a cassação do mandato dos vereadores Thaís Helena, Paulo Pedra (PDT) e Delei Pinheiro (PSD). No entanto, desde setembro está em vigor a lei da ficha limpa municipal para cargos públicos.

No cargo de secretária, Thaís Helena optou por receber o salário de vereadora, que é de R$ 15 mil. Já a remuneração para secretário municipal é de R$ 11.619,70.

Nos siga no Google Notícias