A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

21/01/2014 18:04

Chocolate entra com recurso no PP nacional contra expulsão

Josemil Arruda
Vereador Chocolate nega infidelidade ao ter votado por processo contra Bernal (Foto: arquivo)Vereador Chocolate nega infidelidade ao ter votado por processo contra Bernal (Foto: arquivo)

O vereador Waldecy Chocolate entrou com recurso na Direção Nacional do Partido Progressista (PP) contra sua expulsão, confirmada neste começo de janeiro em comunicado ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). “Entrei com o recurso nesta tarde”, informou o advogado de Chocolate, Rodrigo Pimentel, o mesmo que também defende o vice-prefeito Gilmar Olarte em processo ético que tramita no PP de Mato Grosso do Sul.

Para o advogado de Chocolate, a expulsão contrariou o Estatuto do PP. “Dentro do Estatuto do PP está claro que Comissão Provisória não tem legitimidade para processar e julgar membro do partido”, argumentou. “Consequentemente todo o processo que foi montado é nulo”, concluiu.

Além disso, o advogado aponta que na votação pela criação da Comissão Processante da Câmara de Campo Grande, no dia 15 de outubro do ano passado, Chocolate agiu de acordo com sua consciência, visto que não havia deliberação alguma dentro do PP sobre o tema. “Ele não cometeu infidelidade, pois o partido não fez reunião, não fechou questão, nem fez direcionamento na votação”, asseverou.

Em Campo Grande, Chocolate disse que está confiante na anulação de expulsão decidida pela Comissão Provisória do Estado. “O partido não tem Diretório para julgar ou expulsar quem quer que seja. Está sendo comandado aqui por uma Comissão Provisória, que só pode escolher candidatos e algumas outras coisas”, disse o vereador.

No ano passado, segundo Chocolate, já houve uma primeira vitória sua, na direção nacional do PP, contra a tentativa orquestrada pela Comissão Provisória Municipal de Campo Grande. “Como não conseguiram daquele vez aí fizeram o processo no estadual”, contou.

 

 

 

 



Ninguém fez prévia avisando que não podia votar contra o partido....Que argumento... então quando um time entra em campo tem que fazer reunião para avisar que não pode marcar gol contra. Será que o vereador pagou para o advogado escrever isso na defesa?
 
Ronaldo Costa em 23/01/2014 10:07:24
Sem noção esse vereador. Trai o prefeito, o partido e ainda quer ficar no PP.
 
Marta Santos em 21/01/2014 19:39:02
Espero que o Chocolate consiga permanecer como vereador, cassar o prefeito não pode dentro do partido , mas o vereador pode? Partido esquisito este PP.
 
edson navarini em 21/01/2014 19:09:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions