ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 25º

Política

Com apenas 3 votos contra, PEC da reforma eleitoral é aprovada em 1º turno

De MS, senadoras Simone Tebet e Soraya Thronicke votoram sim; Nos EUA, Nelsinho estava ausente

Por Liniker Ribeiro | 22/09/2021 17:50
Simone Tebet durante sessão no Senado, nesta quarta-feira (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)
Simone Tebet durante sessão no Senado, nesta quarta-feira (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

Por 70 votos a 3, a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma eleitoral foi aprovada em primeiro turno pelo Senado, na tarde desta quarta-feira (22). Entre as principais mudanças, a proposta altera a data da posse de presidente e governadores, a partir de 2026, estabelecendo o quinto dia do ano para posse do líder da nação e o sexto para chefes dos executivos estaduais.

O texto aprovado, que ainda precisa ser analisado em segundo turno, também mantém maior peso aos votos de mulheres e negros, para a Câmara dos Deputados, considerando-os “peso dois”. Isso será usado para calcular a distribuição dos fundos de distribuição partidária e eleitoral às siglas, até 2030.

Representantes de Mato de Mato Grosso do Sul, as senadores Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (PCL), votaram a favor da PEC. Nelsin Trad (PCD) estava ausente em cumprimento a uma missão oficial nos Estados Unidos.

Ao aprovarem a proposta, os senadores aprovaram sugestão da senadora Simone Tebet, de descartar o retorno das coligações partidárias para escolha de vereadores e deputados. Isso permitira a união de partidos em um único “bloco” para disputar às eleições para deputados e vereadores.

Fidelidade partidária – Na proposta ficou mantida a possibilidade do partido concordar com a saída de um deputado, ou vereador, sem que o parlamentar seja punido ao mudar de sigla. Atualmente, vereadores só podem mudar de partido, sem perder o mandato, em casos específicos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário