ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 24º

Política

Decisão de Moraes determina posse imediata de Paulo Duarte na Assembleia

Segundo ministro, não é nem mesmo "necessário aguardar trânsito em julgado da decisão" para que seja cumprida

Por Lucia Morel | 26/02/2024 19:10
Paulo Duarte na tribuna da Assembleia Legislativa, defendendo pauta sobre as mulheres (Foto: Arquivo/Alems)
Paulo Duarte na tribuna da Assembleia Legislativa, defendendo pauta sobre as mulheres (Foto: Arquivo/Alems)

Decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) publicada hoje determina a posse imediata do ex-deputado estadual Paulo Duarte (PSB) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul para novo mandato.

Presidente da Corte, ministro Alexandre de Moraes entendeu que houve “má-fé na formação da chapa proporcional” do PRTB, partido do parlamentar Rafael Tavares, em relação às cotas de gênero e acatou pedido de Duarte para imediata execução do acórdão do TRE/MS (Tribunal Regional Eleitoral) que decidiu pela retirada de Tavares do cargo.

Na determinação de hoje, Moraes “permite-se concluir que o registro das candidaturas (de duas mulheres) se deu tão somente para fraudar o disposto no art. 10, § 3º, da Lei nº 9.504/1997 (referente à cota de gênero), considerando a insistência do partido em manter as candidaturas inviáveis como integrantes de sua cota mínima sem proceder às substituições (...), embora existente tempo hábil para tanto”.

Com isso, o ministro indeferiu os pedidos do PRTB de retirada do processo da pauta de julgamento, e não conheceu do recurso do partido que pedia a reforma do acórdão. “Nesse cenário, a jurisprudência do TSE autoriza a execução imediata do acórdão, ainda que importem a cassação de mandato eletivo, não sendo necessário aguardar o trânsito em julgado da decisão ou até mesmo sua publicação”, determinou.

Para Duarte, a decisão e “uma excelente surpresa” e a posse, que pode acontecer ainda esta semana, “é uma grande responsabilidade de honrar o mandato”. Segundo ele, o TRE deve ser oficiado amanhã e então, a Assembleia Legislativa. A reportagem entrou em contato com o presidente da Casa de Leis, Gerson Claro, para comentar a decisão, mas não houve retorno.

Nos siga no Google Notícias