A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

08/12/2014 10:38

Demora em aposentadoria, gera demissão de diretor no TCE

Leonardo Rocha
Após pressão para finalizar aposentadoria, presidente José Ricardo Cabral demite diretor no TCE (Foto: Divulgação - TCE)Após pressão para finalizar aposentadoria, presidente José Ricardo Cabral demite diretor no TCE (Foto: Divulgação - TCE)

A demora no processo de aposentadoria do conselheiro José Ricardo Pereira Cabral provocou a exoneração do diretor de Gestão de Pessoas do Tribunal de Contas do Estado, Nilton Leopoldino Rodrigues. O ato foi publicado hoje no Diário Oficial do órgão. 

A decisão ocorreu após reclamações dos deputado Jerson Domingos (PMDB), em entrevista à imprensa, e Londres Machado (PR), que o fez pessoalmente ao presidente do TCE, José Cabral, que pediu, oficialmente, sua aposentadoria no dia 25 de novembro.

Depois de seguir os tramites burocráticos do tribunal, o processo segue para o governador André Puccinelli (PMDB), que indica o nome para preencher a vaga.  

No entanto a demora para conclusão deste processo, começou a gerar a reclamação dos deputados estaduais, já que um dos interessados na vaga é o também deputado Antônio Carlos Arroyo (PR), que teria a promessa de André que seria indicado.

No último dia 4 de dezembro, o presidente da Assembleia reclamou da demora publicamente, após evento na governadoria. Ele disse que achava "estranho" esta lentidão e que o processo precisava ser acelerado, questionando se era uma ação de "descaso" ou "excesso de zelo".

Jerson ainda afirmou que restava a Cabral cobrar sua diretoria e ter pulso mais firme na hora de exigir a rapidez na tramitação. O deputado Londres Machado inclusive foi pessoalmente conversar com o presidente do Tribunal, para que ele agilizasse este processo.

Após esta pressão do legislativo, Cabral teria dito que caso não fosse acelerado esta burocracia, haveria demissões no Tribunal, o que segundo informações repassadas ao Campo Grande News, justamente gerou a demissão do diretor do Departamento de Gestão.

Vaga - Com esta abertura da vaga, em função da aposentadoria por tempo de serviço de José Ricardo Cabral, restará ao governador André Puccinelli fazer a sua indicação, já que esta (vaga) pertence ao executivo estadual.

André já declarou, no mês passado, que o escolhido seria Arroyo, por ter um compromisso com o deputado do PR, no entanto nas últimas agendas públicas, tem feito mistério sobre sua escolha. O deputado garante que tem a palavra de Puccinelli e que ser conselheiro do TCE, faz parte de seu projeto de vida.

Desfalque - O tribunal funciona com apenas 5 dos sete conselheiros. Osmar Jeronymo, secretário da Casa Civil do Governo, e o deputado Jerson Domingos, nomeado para o lugar de Cícero de Souza, que também se aposentou, ainda não assumiram suas funções.



Nossa, quanta agilidade!
Enquanto isso os moradores da Cidade de Deus são rechaçados de seus barracos para um terreno que nem barracos têm. A quem recorrer?
O próprio judiciário saiu de seu enclausurado gabinete para confirmar o óbvio: “os barracos da cidade de deus” não apresentam condições mínimas de sobrevivência. O que impressiona é que, ignorando os problemas do povo, esses políticos se ajudam para garantir seus abastados vencimentos.
Depois veem argumentar que as manifestações não podem direcionar para o vandalismo... isso sim é vandalizar com meu bom senso Sr. Governador.
 
TOYOSHI SATO em 08/12/2014 12:12:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions