A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Setembro de 2018

26/09/2017 12:59

Deputados aprovam aplicativo que aciona polícia em casos de violência à mulher

O aplicativo chamado "Mulher Segura" é uma proposta da deputada Grazielle Machado para coibir a violência contra as mulheres

Richelieu de Carlo e Leonardo Rocha
Deputado Coronel Davi (em pé) teve sugestão de projeto aprovado nesta terça-feira. (Foto: Victor Chileno/ALMS)Deputado Coronel Davi (em pé) teve sugestão de projeto aprovado nesta terça-feira. (Foto: Victor Chileno/ALMS)

Os deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul aprovaram a criação de um aplicativo para celular em que as mulheres vítimas de violência poderão acionar a polícia, em casos de emergência ou fazer denúncias e relatos de maus tratos, que são ser devidamente investigadores pelas autoridades.

O aplicativo chamado "Mulher Segura" é uma proposta da deputada Grazielle Machado (PR) e seu projeto de lei para criação da ferramenta foi aprovado em primeiro turno de votação na sessão desta terça-feira (26), no Legislativo estadual.

Pelo projeto, o Poder Executivo estadual poderá firmar convênios, contratos e termos de cooperação, para que esta lei seja firmada na prática, criando mais uma ferramenta para coibir a violência contra as mulheres, em Mato Grosso do Sul.

A proposição deve passar por uma segunda votação, para depois ser encaminhada para o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que pode vetar ou sancionar a matéria.

Nesta mesma situação está o projeto de lei enviado pelo Executivo em que faz mudanças no estatuto dos servidores militares de Mato Grosso do Sul, que também foi aprovado hoje em regime de urgência.

Conforme as novas regras, oficiais, aspirantes e praças que estiverem submetidos aos Conselhos de Justificação e de Disciplina passarão a poder receber promoção e benefícios, o que é vetado atualmente. A análise da promoção ficará a cargo dos superiores, que vão analisar caso a caso o merecimento à promoção aos militares que estiverem respondendo a processo administrativo interno.

A sugestão de mudança foi apresentada pelo deputado estadual Coronel Davi (PSC), ex-comandante da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul. Segundo ele, as mudanças vai beneficiar o "bom policial e bombeiro", que acabam tento que responder a processos quando participam de uma ocorrência e um suspeito é baleado, por exemplo, para averiguar a situação.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions