A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

16/09/2014 11:55

Deputados repercutem declaração de vereador de Dourados na Assembleia

Leonardo Rocha
Deputado Pedro Kemp vai a tribuna e diz que vereador deveria se preocupar com temas importantes como segurança e educação (Foto: Giuliano Lopes/ALMS)Deputado Pedro Kemp vai a tribuna e diz que vereador deveria se preocupar com temas importantes como segurança e educação (Foto: Giuliano Lopes/ALMS)
Carlos Marun se surpreendeu com declaração e diz que é contra o preconceito (Foto: Giuliano Lopes/ALMS)Carlos Marun se surpreendeu com declaração e diz que é contra o preconceito (Foto: Giuliano Lopes/ALMS)

Os deputados estaduais repercutiram hoje (16), durante sessão, as declarações que o vereador de Dourados, Sérgio Nogueira (PSB), proferiu na última segunda-feira (15), quando propôs enviar homossexuais a uma ilha por 50 anos, para ilustrar o que considera a inviabilidade de se construir núcleos familiares com pessoas do mesmo sexo.

Os parlamentares lamentaram as declarações do vereador, ressaltando que ao invés de proferir discursos que possam ter discriminação, ele deveria se preocupar com temas mais importantes como desemprego, evasão escolar e aumento no índice de violência. "Não sei porque se preocupa tanto com a sexualidade dos outros", afirmou Pedro Kemp (PT).

De acordo com o deputado, a Constituição Federal aponta que não deve ser ter distinção de pessoas de qualquer natureza, e sempre deve se respeitar a dignidade do outro.

"Quando se fala que homossexuais são anormais, que devem ser colocados em uma ilha, só podemos lamentar, existem estudos que mostram que a homossexualidade existe desde o começo da humanidade", relatou o petista.
Ele ainda lembrou que a discriminação a homossexuais, assim como racial, devem ser coibidos e repudiados na sociedade. "Estas declarações não contribuem em nada, não vai mudar a realidade".

O deputado Carlos Marun (PMDB) disse que esta declaração do vereador o surpreendeu e que nesta questão a palavra chave é o respeito. "Só me preocupo um pouco com propagandas nas escolas e também respeito as igrejas que seguem e defendem sua tradição, mas sou contra o preconceito", ressaltou ele.

Kemp também ponderou que os homossexuais sempre lutam pelo direito a união civil. "Não se pode promover a exclusão destas pessoas". O petista ainda citou a lei estadual n° 3.157, de 2005, de sua autoria, que dispõe sobre medidas de combate à discriminação devido a orientação sexual em Mato Grosso do Sul.

Resposta - Em nota oficial, o vereador Sérgio Nogueira afirmou que sua declaração foi dada no contexto da discussão sobre o ensino da orientação homossexual nas escolas, que estava sendo direcionado ao público infantil. Ele disse que compreende e respeita os direitos civis da comunidade (homossexual), no entanto entende que esta temática não pode ser endereçada às crianças, de forma unilateral pelo Estado.

"Esta deve ser debatida com as famílias dos alunos, com os diretores e professores das escolas e com as lideranças religiosas que manifestam posicionamentos plurais quanto ao assunto".

O vereador ainda destaca que jamais sugeriu a segregação dos homossexuais e que todos devem ser contrários à discriminação de pessoas por causa da orientação. “No entanto, a acusação de homofobia não pode se constituir em um argumento neutralizador da compreensão das comunidades religiosas sobre temas desta natureza”.

 

Presidente de comissão vê como "apartheid" declaração de vereador sobre gays
O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Dourados, Márcio Fortini, comparou ao “Apartheid”,...
Vereador diz que não é homofóbico, mas quer por gays em ilha por 50 anos
O vereador de Dourados Sérgio Nogueira (PSB), que é pastor, propôs na sessão desta segunda-feira (15) enviar homossexuais a uma ilha por 50 anos. Ele...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions