A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

16/12/2014 11:15

Foi uma das decisões mais difíceis da vida de André, diz Arroyo

Aline dos Santos e Leonardo Rocha
Arroyo foi indicado para a vaga no Tribunal de Contas. (Foto: Marcelo Calazans)Arroyo foi indicado para a vaga no Tribunal de Contas. (Foto: Marcelo Calazans)

O fim do mistério sobre a vaga para o TCE (Tribunal de Contas do Estado) foi o começo para lágrimas, agradecimentos e desabafo do deputado estadual Antonio Carlos Arroyo (PR). Após mais de 20 dias do pedido de aposentadoria do conselheiro José Ricardo Cabral, o processo, até então vagaroso, ganhou agilidade nesta terça-feira. A aposentadoria foi publicada e a indicação de Arroyo para o cargo já chegou à Assembleia Legislativa.

“ Eu sei da pressão que o André [Pucinelli] sofreu, pois foi uma das decisões mais difíceis da sua vida. Porque ele teve que escolher entre mim e o Giroto, companheiro de política. Mas ele não deixou de cumprir sua palavra. Eu esperava por isso fazia muitos anos”, afirmou Arroyo. Edson Giroto é secretário de Obras e homem de confiança do governador.

Arroyo soube da indicação para o TCE em evento de despedida dos deputados que não disputaram a reeleição. A mensagem do governo foi lida pelo presidente da Assembleia, Jerson Domingos (PMDB), e levou o deputado às lágrimas e agradecimentos.

“Obrigado pela generosidade e carinho comigo. Principalmente meus dois irmãos Jerson Domingos e Londres Machado. Os dois foram muito importante para mim nesses últimos seis meses, pois me deram muita força. Devo muito e aprendi com eles. São homens que cumprem a palavra”, disse.

Jerson e o deputado Londres Machado (PR) tiveram atuação veemente para garantir a vaga. Ontem à tarde, Arroyo, Jerson e o procurador-geral do Estado, Rafael Coldibelli Francisco, foram ao TCE e conseguiram o ofício requerendo a aposentadoria, que foi assinado pelo próprio José Ricardo.

O rito normal seria que a documentação fosse encaminhada à Governadoria pelo corregedor da corte fiscal, conselheiro Ronaldo Chadid, que está em viagem.

“Da outra vez, o Arroyo disputou o cargo com a Marisa [Serrano], disse a ele que não seria o escolhido, mas ele não desistiu e foi uma estratégia inteligente. Pois hoje, em razão dessa disputa, ele foi contemplado”, salientou Jerson Domingos. À época dessa disputa, Arroyo recebeu a garantia que seria o próximo a ser indicado para o tribunal.

“Chamaram o Jerson para dançar. Quando entro, não saio até a botina acabar. Não sei sei foi pela preferência, mas foi pelo direito”, disse ainda Jerson Domingos, sobre a atuação como padrinho na indicação de Arroyo.

A partir do ano que vem, o presidente da Assembleia também vai trocar o parlamento pelo Tribunal de Contas do Estado. A remuneração de conselheiro é de R$ 26 mil.

“Fico feliz pelo André ter cumprido a sua palavra”, declarou o deputado Londres Machado. A votação da indicação de Arroyo deve acontecer até quinta-feira, quando começa o recesso. Basta um acordo de líderes para que o documento seja votado.

Câmara adia de novo votação da PEC que cria distritão e fundo eleitoral
Após várias tentativas de votação nesta terça-feira (22), a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03, que altera o sistema político-e...
Câmara aprova parcelamento de dívidas de Estados e municípios com o INSS
A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 22, em plenário, a medida provisória 778/2017, que permite Estados e municípios parcelarem...
Votação da PEC do fim das coligações será retomada nesta quarta-feira
A Comissão Especial da PEC 282/2016, que propõe o fim das coligações partidárias e estabelece cláusula de barreira, teve que suspender o processo de ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions