A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

08/03/2017 20:34

Futuro de chefes de secretarias alvo de reforma ainda não foi decidido

Nyelder Rodrigues e Anahi Zurutuza
Governador falou com a imprensa na saída da posse dos novos desembargadores do TJ (Foto: Alcides Neto)Governador falou com a imprensa na saída da posse dos novos desembargadores do TJ (Foto: Alcides Neto)

O futuro dos secretários das três pastas de primeiro escalão que serão extintas na reforma administrativa do Governo do Estado ainda não foi decidido pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), conforme declaração dada por ele ao final da cerimônia de posse dos novos desembargadores do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

A reforma prevê economia de R$ 134 milhões e foi aprovada em primeira votação pela Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (8). Já na quinta-feira (9), os deputados estaduais fazem nova análise sobre o texto e votam novamente a pauta, em segunda votação - que deve seguir a mesma linha da primeira e ser aprovada.

Mesmo assim, Reinaldo foi cauteloso ao comentar quando deve pretende colocar em práticas as medidas previstas pela reestruturação, que incluem a extinção de importantes secretarias estaduais.

"Tem que esperar a votação, não sei se vai passar. Quando eu receber o projeto para sanção vou colocá-lo em prática [a reforma administrativa, proposição do próprio Executivo]", frisa o governador.

Já quando questionado sobre um possível reaproveitamento em outras pastas dos três secretários que vão perder o posto com a aprovação da reforma pelos deputados, Reinaldo disse apenas que "ainda não tomei essa decisão".

Entre as pastas previstas para extinção estão a Casa Civil, que tem como secretário Sérgio de Paula, a Sehab (Secretaria de Estado de Habitação), chefiada por Maria do Carmo Avessani, e a Sepaf (Secretaria de Estado de Produção e Agricultura Familiar), liderada por Fernando Mendes Lamas. A estrutura de ambas as pastas serão absorvidas por outras.

Ainda tem o que entregar sobre Michel Temer em delação, diz Funaro
O corretor de valores Lúcio Bolonha Funaro, preso na Papuda, em Brasília, disse nesta quarta (16) que "ainda tem" o que entregar sobre o presidente M...
Sem consenso, Câmara adia votação da reforma política
Sem consenso e diante de muita polêmica, o plenário da Câmara dos Deputados adiou na noite desta quarta-feira (16) a votação do texto-base de parte d...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions