A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Agosto de 2017

30/01/2014 09:28

Governador adia reforma e secretários vão permanecer mais dois meses

Leonardo Rocha
Governador, durante evento, ao lado da secretária de Produção, que disputa cargo na Câmara dos Deputados (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Governador, durante evento, ao lado da secretária de Produção, que disputa cargo na Câmara dos Deputados (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

O governador André Puccinelli (PMDB) recuou da decisão de realizar a reforma administrativa já nos mês de fevereiro. Os secretários que vão disputar cargos eletivos neste ano vão continuar mais dois meses e poderão permanecer no cargo até abril, prazo limite para desincompatibilização.

Desta forma, o governador vai analisar caso a caso decidindo em que período os secretários poderão ser substituídos, para se dedicar a campanha eleitoral. O prazo limite para sair do governo é até o dia 5 de abril.

“Vamos sair em conformidade com o adiantamento do trabalho, nas próximas semanas vou me reunir com o governador para discutirmos os projetos da pasta para este ano, tenho que resolver algumas situações importantes ainda”, afirmou o secretário de Habitação, Carlos Marun, que vai ser candidato a deputado federal.

Se Marun deixasse o governo agora, retornaria para Assembleia Legislativa já na próxima terça-feira (3), quando os deputados voltam do recesso. Ele ficaria com a vaga do deputado Rinaldo Modesto (PSDB). “Este meu retorno para o legislativo vai demorar mais um pouco”, acrescentou.

A titular da Seprotur (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo), Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, também confirmou que o governador concedeu “mais tempo” antes de sua saída, pois algumas “pendências” precisam ser resolvidas.

“O governador tinha decidido que sairíamos em fevereiro, mas ficariam algumas questões para trás, com mais tempo poderemos adiantar os projetos e deixar as ações encaminhadas”, argumentou. Ela também será candidata a deputada federal pelo PSB.

Até o secretário estadual de Articulação com os Municípios, o ex-prefeito Nelsinho Trad, também não sairá do governo no final de janeiro. A sua assessoria confirmou que ele continua com os projetos da pasta e não tem data para sair, já que precisa terminar alguns serviços que estavam em andamento.

Com esta mudança, Herculano Borges (Juventude) e José Carlos Barbosa (Sanesul) também permanecem no cargo. O secretário de Obras, Edson Giroto, já havia adiantado anteriormente que ficaria a frente da pasta até abril, já que precisava conduzir neste início do ano o programa MS Forte II.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions