A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Maio de 2019

17/04/2019 12:02

Limite prudencial e abono serão pautas da negociação salarial, diz Reinaldo

Governador declarou que diversas questões econômicas serão levadas em conta para negociar com os servidores

Izabela Sanchez e Leonardo Rocha
Governador Reinaldo Azambuja durante agenda nesta quarta-feira (17) (Foto: Marina Pacheco)Governador Reinaldo Azambuja durante agenda nesta quarta-feira (17) (Foto: Marina Pacheco)

O governo do estado já abriu a agenda de discussão do reajuste salarial dos 75 mil servidores do Estado e reuniões com representantes já são marcadas. Nesta quarta-feira (17), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) declarou que a renovação, ou não, do abono salarial – que termina em maio - e o limite prudencial de gasto com pessoal serão pautas na negociação.

O governador afirma “estar disposto ao diálogo”. “A questão do limite prudencial vai ser muito importante na negociação. A gente não pode ultrapassar o limite, tem que ter responsabilidade, porque podemos sofrer sanções se ultrapassarmos. O governante tem que estar atento a essa questão”, disse.

Azambuja declarou, ainda, que 20 estados atrasam o pagamento dos servidores, o que não ocorre em Mato Grosso do Sul e “amarrou” à discussão salarial questões como reformas econômicas e crise financeira.

“Precisamos discutir questões importantes, como reformas da previdência, tributária e pacto federativo porque estão estagnando recursos dos estados. Por exemplo, em Mato Grosso do Sul começamos muito bem o ano, mas fevereiro e março foram piores de receita, ou seja, se não votarmos essas reformas podemos voltar à crise financeira de anos anteriores, então todas essas questões serão levadas e conta na hora de conversar”, comentou.

Reinaldo elencou o secretário de governo Eduardo Riedel e Roberto Hashioka, titular da SAD (Secretaria de Administração e Desburocratização), junto à uma equipe do governo para conduzir as negociações. Representantes do Fórum Dialoga já pediram espaço para o dia 25, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, para utilizarem a tribuna e informarem os deputados sobre o teor das negociações.

No ano passado, o Estado acrescentou percentual de 3,04% nos salários dos funcionários públicos estaduais. Se somados aos reajustes anteriores, promoções e correções salariais dos últimos três anos, conforme divulgou o Executivo estadual à época, a folha na folha salarial dos servidores teve aumento de 33,23%.



Como são as coisas, aprovam até 90% para tribunal de contas, é só abrir o diário Oficial e ver que cada dia estão nomeado pessoas e mais pessoas, o servidor a bom tempo não tem um aumento salarial, mas o salário do governador teve e de muitos outros como comissionados que tiveram com essa mudança de nomenclatura que foi apenas para melhorar o salario do grande escalão. Será que ninguém vê isso? Puta que pariu, agora vem com essa noticia furada que todo jornal da cidade esta publicando na hora que os servidores teriam um reajuste? É muita brincadeira viu, o servidor só se ferra.
 
Ric em 16/05/2019 16:23:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions