A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

18/02/2016 16:17

MPE pede bloqueio de R$ 84 milhões, mas protege nomes de envolvidos

Promotores, no entanto, não quiseram divulgar quem são os denunciados à Justiça

Bianca Bianchi e Flavia Lima
Equipe que compõe a força-tarefa da Lama Asfáltica e Coffee Break apresentam os resultados das investigações (Foto: Alan Nantes)Equipe que compõe a força-tarefa da Lama Asfáltica e Coffee Break apresentam os resultados das investigações (Foto: Alan Nantes)

O MPE (Ministério Público Estadual) conseguiu na Justiça o bloqueio de R$ 84 milhões de empresas, pessoas físicas e servidores públicos estaduais e municipais envolvidas na Operação Lama Asfáltica. O objetivo, segundo força-tarefa criada para acompanhar investigação, em nível federal, de esquema de corrupção envolvendo o Poder Público e empreiteiras, é garantir o ressarcimento dos prejuízos ao Estado de Mato Grosso do Sul, apontados nas investigações.

Segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (18) pelos promotores, o pedido de bloqueio atinge em torno de 40 investigados. Nenhum nome, no entanto, foi divulgado, sob alegação de que o trabalho precisa ser feito sob sigilo.

Após seis meses da investigação, o MPE divulgou relatório com as principais irregularidades, entre elas, o desvio de recursos públicos em obras de estradas. As rodovias MS-171, no município de Aquidauana, MS-228 e MS-184, ambas em Corumbá, apresentam trechos que deviam ter recebido obras de drenagem contratadas pelo Governo Federal, mas que não foram executadas. Os contratos ultrapassam R$ 11,5 milhões.

As visitas aos locais constataram maquinário e cascalhamento na pista, o que indica uma tentativa dos executores da obra de maquiar a situação, o que é proibido, uma vez que as rodovias são, agora, objetos de investigação e estão sob intervenção judicial.

O MPE pediu a prisão preventiva das pessoas envolvidas nas contratações das obras. A Justiça negou e o órgão entrou com recurso pedindo a prisão novamente.

Em relação à terceirização ilegal de serviços públicos, o MPE contesta contratos de serviços de informática na ordem de R$ 55 milhões. De acordo com a promotora Cristiane Mourão Leal Santos, nos últimos anos, o Governo do Estado eliminou cargos de servidores do setor e contratou empresas para executar a função.

"O Governo está refém de empresas que fornecem softwares e têm o controle total dos serviços báscios de informática utilizados pelo Estado", afirmou.

O enriquecimento ilícito de agentes públicos estaduais e municipais também é pauta das investigações. De acordo com relatório apresentado hoje, a esposa de um servidor municipal teria gasto, em três anos, R$ 904 mil em joias. Há registros de compras de um colar de ouro de R$ 24 mil e aneis de até R$ 10 mil, o que seria incompativel com o salário do servidor.

A força-tarefa apura também de quem são a responsabilidade e a culpa pela morte dos mais de 6 mil peixes do Aquário do Pantanal, em junho do ano passado. A investigação move uma ação de improbidade administrativa, pois a empresa contratada para executar o projeto de pesquisa, que foi contratado sem licitação, estaria inapta para o serviço.

A equipe que compõe a força-tarefa é formada pelos Promotores de Justiça Fernando Martins Zaupa, Thalys Franklyn de Souza, Tiago Di Giulio Freire e Cristiane Mourão Leal Santos.

No total, foram 60 procedimentos investigatórios e 257 depoimentos prestados. As investigações devem continuar por, pelo menos, mais seis meses.

Lama Asfáltica - Deflagrada em 9 de julho, investiga suposto esquema de desvio de dinheiro em obras públicas do governo de André Puccinelli (PMDB). Anunciando prejuízo inicial de R$ 11 milhões aos cofres públicos, equipes da PF (Polícia Federal) cumpriram mandados de busca e apreensão em empresas, residências de luxo e na Seinfra (Secretaria Estadual de Infraestrutura). A força-tarefa do MPE, por sua vez, investiga contratos, mas com os que contaram com verba estadual.

* texto editado às 8h20 de 19/02 para correção de informações

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions