ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  12    CAMPO GRANDE 23º

Política

Na 1ª sessão do ano, deputados cobram providências para barragens de MS

Ex-vereador em Corumbá –cidade onde está instalada a mineradora Vale–, Evander Vendramine (PP) sugeriu criação de uma comissão parlamentar para acompanhar vistorias

Por Anahi Zurutuza e Leonardo Rocha | 05/02/2019 11:08
Deputado estadual Felipe Orro (PSDB) durante sessão na Assembleia (Foto: ALMS/Divulgação)
Deputado estadual Felipe Orro (PSDB) durante sessão na Assembleia (Foto: ALMS/Divulgação)

Na primeira sessão de 2019, deputados estaduais não deixaram demonstrar preocupação com a situação das barragens que armazenam o rejeito da extração do minério de ferro –aquela lama que inundou Brumadinho, no interior de Minas Gerais– em Mato Grosso do Sul. Parlamentares querem saber como é a fiscalização.

Ex-vereador em Corumbá –cidade onde está instalada a mineradora Vale–, Evander Vendramine (PP) sugeriu até a criação de uma comissão parlamentar para acompanhar as vistorias. “Tenho uma reunião hoje à tarde na Semagro [Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar] e vou pedir a intensificação nas fiscalizações, principalmente na região do Urucum”, afirmou.

O rompimento das barragens de alto risco situadas no complexo do Urucum, em Corumbá, não carrearia a lama com rejeitos de minério e manganês para a cidade ou para o rio Paraguai. Ambos estão distantes a pelo menos 40 km desses depósitos a céu aberto. Mas, não fiscalizados com critério pelos órgãos federais, se romperem-se, as estruturas podem tanto afetar uma comunidade tradicional, como varrer um ambiente de rica biodiversidade do Pantanal.

O deputado Felipe Orro (PSDB) disse no plenário que está em contato direto com as empresas - Vale e Vetorial (siderúrgica). “Queremos ver o mesmo que aconteceu em Minas Gerais, seja feito aqui. A desativação gradual e sem risco de barragens até a paralisação total das que tem o mesmo modelo da de Brumadinho”.

Já Pedro Kemp (PT) oficializou a convocação do secretário estadual de Meio Ambiente, Jaime Verruck, para que ele possa explicar aos parlamentares como funciona a fiscalização neste ramo.

Tragédia – A barragem da mineradora Vale em Brumadinho se rompeu no dia 25 de janeiro e destruiu o equivalente a 378 campos de futebol de mata, segundo comparação feita em matéria publicada no site da revista Veja.

Até ontem (4), conforme apurou a Agência Brasil, 134 corpos foram encontrados pelas equipes de resgate, dos quais 120 foram identificados. No total, 394 pessoas foram localizadas e 199 continuam desaparecidas.

Para facilitar a identificação das vítimas, a Polícia Civil de Minas Gerais já coletou 522 amostras de DNA.