A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

25/07/2018 11:20

Não pode haver condenação precoce contra o André, diz Reinaldo

Governador comentou que Puccinelli precisa ter direito a ampla defesa, sem existir pré-julgamento

Leonardo Rocha
Governador Reinaldo Azambuja concedeu entrevista durante encontro com lideranças do DEM (Foto: Saul Schramm)  Governador Reinaldo Azambuja concedeu entrevista durante encontro com lideranças do DEM (Foto: Saul Schramm)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou que não pode haver “condenação precoce” contra o ex-governador André Puccinelli (MDB), em função dele ter sido preso pela Polícia Federal. O tucano ainda disse que seu antecessor precisa ter direito a ampla defesa, como as demais pessoas, sem que haja um “pré-julgamento”.

“Todo cidadão tem direito de ter uma ampla defesa, para poder se defender das acusações. Não pode existir condenação precoce contra o (André) Puccinelli e sim esperar todas as tramitações nas instâncias legais da Justiça”, disse Azambuja, ao final do encontro com lideranças do DEM, na frente da residência de Murilo Zauith (DEM).

Reinaldo também negou que a prisão de Puccinelli tenha alterado ou mudado o rumos das negociações de alianças, que o PSDB está fazendo com os demais partidos, já que em alguns casos, como o próprio DEM, havia uma disputa direta com o MDB. “Continuamos conversando com todos, não houve mudança nas negociações devido a prisão do ex-governador”, garantiu.

Prisão – O ex-governador André Puccinelli (MDB) foi preso na última sexta-feira (20), junto com seu filho, André Puccinelli Júnior e o advogado João Paulo Calves, pela Polícia Federal, em mais uma ação da Operação Lama Asfáltica, que investiga o desvio de recursos públicos, em obras estaduais no Mato Grosso do Sul.

A defesa de Puccinelli entrou com o pedido de habeas corpus na última segunda-feira (23), mas ontem a ação foi negada pelo desembargador federal Maurício Kato, da 5ª Turma do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região). O magistrado seguiu os argumentos apresentados pelo MPF (Ministério Público Federal).

A direção estadual do MDB se reuniu no mesmo dia da prisão para reafirmar a pré-candidatura de Puccinelli, dizendo que não haveria um “plano B”, seguindo com a programação e a convenção partidária, marcada para o dia 4 de agosto, na sede da Associação Nipo Brasileira, em Campo Grande. Após a negativa do habeas corpus, as lideranças voltaram a dizer que seguem confiantes na soltura e em ter Puccinelli para a disputa estadual.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions