A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

07/05/2015 17:42

Prefeito comanda operação para recuperar base e conter efeitos de CPI

Lidiane Kober
Mário César contou que o prefeito se queixou da instalação da CPI (Foto: Divulgação/Assessoria)Mário César contou que o prefeito se queixou da instalação da CPI (Foto: Divulgação/Assessoria)
Chocolate deixou a base e aliados do prefeito tentam recuperar o apoio (Divulgação/Câmara)Chocolate deixou a base e aliados do prefeito tentam recuperar o apoio (Divulgação/Câmara)

Preocupado com a onda de turbulência que se instalou na administração, o prefeito Gilmar Olarte (PP) comanda operação para recuperar a base aliada e conter os efeitos da CPI das Contas Públicas, instalada nesta semana na Câmara Municipal. Alvos de “pancadas do povo”, vereadores começaram a pular fora do barco do prefeito e o desafio é segurar os aliados. Neste sentido, Olarte convocou os líderes de partido para reuniões na Esplanada e vem mandando recados para parlamentes voltarem à base.

O primeiro encontro foi realizado ontem (6), um dia depois da instalação da CPI, com parte dos líderes. A próxima rodada de reunião será nesta sexta-feira (8). Presidente da Câmara, Mário César (PMDB) participou do encontro de quarta e ouviu queixas. "Ninguém fica contente com uma investigação e é lógico que o prefeito se queixou”, comentou o vereador.

Na reunião, segundo ele, Olarte reforçou o momento de crise e pediu apoio. Em contrapartida, os parlamentares cobraram “clareza” nas ações. “Uma hora solta decreto tirando benefícios, depois, revoga a decisão. Precisamos ter clareza, até para ter argumentos”, cobrou o presidente.

Recém declarado independente, o vereador Waldecy Batista Nunes (PP), conhecido como Chocolate, não foi convocado para as reuniões, mas ficou sabendo dos encontros. Apesar de ficar de fora, ele já recebeu recados para voltar a ficar do lado de Olarte. “O Paulo Matos (chefe de gabinete) me ligou dizendo que o prefeito quer marcar uma agenda”, revelou.

Também o assediou o secretário de Infraestrutura, Valtermir de Brito. “Ele falou da dificuldade financeira e disse que o prefeito precisa que eu continue do lado dele. Falei que as coisas boas vou apoiar”, ressaltou. Chocolate disse que declarou independência por estar cansado de levar “pancada do povo nas ruas”. “As pessoas reclamam do caos na saúde, os professores se queixam de não ter reajuste”, citou.

O vereador afirmou ainda que mais gente “tem vontade” de pular fora do barco do prefeito, “mas falta coragem”. Além de Chocolate, o vereador Eduardo Romero (PtdoB) anunciou independência.

Até o partido do líder o prefeito, o PMDB já não se declara base. “Nossa preocupação é Campo Grande, não temos nada na administração, o líder (Edil Albuquerque) foi escolha pessoal do prefeito”, explicou Mário César.

Em meio à crise, a turbulência também se instalou na Câmara, admitiu o presidente. A coisa esquentou ainda mais com a instalação da CPI. “Fazer CPI com harmonia não sei aonde? É uma situação constrangedora, o próprio nome já diz, mas temos autoridade suficiente para fazer o trabalho”, frisou Mário César. Para ele, inclusive, a comissão será o caminho para ajudar. “Quem não deve, não teme”, completou Chocolate.



Engraçado,antes de falar em CPI o prefeito nem ia la Câmara municipal agora num sai de-la agora quer recuperar a base aliada ai tem coisa abra o lhos seus vereadores.
 
joao carlos de oliveira em 07/05/2015 19:41:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions