A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

02/10/2016 19:28

Presidente do TRE espera "campanha de qualidade" para o segundo turno

Ricardo Campos Jr. e Leonardo Rocha
Presidente do TRE faz pronunciamento após encerramento da apuração (Foto: Alcides Neto)Presidente do TRE faz pronunciamento após encerramento da apuração (Foto: Alcides Neto)

Com o resultado do primeiro turno em Campo Grande definido, o presidente do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral), desembargador Divoncir Schreiner Maran, espera de Marquinhos Trad (PSD) e Rose Modesto (PSDB) uma “campanha de qualidade e boas propostas” para a segunda etapa da disputa. Ele fez o anúncio oficial dos vitoriosos durante a noite deste domingo (2).

“Agora são apenas dois candidatos, sem disputa de vereadores. Espero que a fiscalização e a atuação dos partidos seja muito mais tranquila”, disse à imprensa.

Sobre a votação, ele avalia que o percentual de urnas eletrônicas com problemas foi pequeno e aproveitou para agradecer o bom trabalho dos juízes, promotores e servidores do TRE envolvidos na organização e acompanhamento do pleito.

“Os trabalhos de hoje foram dentro do esperado. A apuração dos votos foi bem divulgada para a população, para quem quisesse acompanhar”, frisou.

Balanço – Foram registradas 30 ocorrências de crimes eleitorais em o domingo de votação em Mato Grosso do Sul. Ao todo, 24 pessoas, entre candidatos e eleitores, foram presas praticando crimes como boca de urna, transporte irregular, compra de votos, além de selfies na hora da votação.

Além das prisões, o TRE também registrou que 94 urnas apresentaram defeito e 44 precisaram ser substituídas no momento da votação. Nestas eleições, são utilizadas 5.669 urnas em Mato Grosso do Sul. Em Campo Grande, 18 urnas apresentaram problemas e nove tiveram que ser trocadas. A Justiça Eleitoral não informou em quais seções estavam esses aparelhos.

No caso das prisões, Conforme o TRE, entre os presos estão nove candidatos. Já entre os eleitores, quinze foram presos em sete cidades do Estado, mais a Capital. As prisões ocorreram em Itaporã, Coxim, Douradina, Guia Lopes da Laguna, Miranda, Aparecida do Taboado, Amambai, Rio Verde, Taquarussu, Mundo Novo, Jardim, Chapadão do Sul, Sete Quedas e Campo Grande.

Um dos casos da Capital trata-se de um fiscal da coligação Nossa Força é a Nossa Gente, encabeçada por Alcides Bernal (PP), detido pela manhã na EscolaEstadual Professora Célia Maria Naglis.

Ele teria se negado a permanecer dentro da seção eleitoral, procedimento necessário nestes casos, e ficou do lado de fora conferindo os títulos dos eleitores. Além disso, teria ignorado tentativas feitas pela chefia da seção para que permanecesse dentro do recinto e insistiu em continuar fazendo a espécie de ‘checagem’ dos documentos, prática que é proibida.

Outro flagrante foi na Escola Estadual Professora Ada Teixeira dos Santos Pereira, no Jardim Campo Belo. Um eleitor foi preso por volta das 11h, fazendo um selfie no momento que votava.

Durante a manhã, quatro candidatos a vereador haviam sido presos, sendo um em Coxim, dois em Itaporã e um em Guia Lopes da Laguna. Nas últimas duas horas, mais quatro pessoas foram presas segundo informações do TRE.

Em Mundo Novo um eleitor foi preso por boca de urna e em Taquarussu, um mesário de sessão também foi preso por tentar incentivar eleitores a votar em um determinado candidato. Em Coxim, o candidato a vereador Odes da Silva (PP) foi preso nesta tarde por transporte ilegal de eleitores.

Além das prisões, a Polícia Federal registrou sete termos circunstanciados em Mato Grosso do Sul, por boca de urna, selfie, transporte irregular e compra de votos.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions