A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Agosto de 2017

02/09/2015 17:47

Quem incitar violência sobre conflitos será preso, afirma ministro da Justiça

Priscilla Peres e Ricardo Campo Jr.
Ministro foi claro e categórico ao falar que não vai admitir violência. (Foto: Marcos Ermínio)Ministro foi claro e categórico ao falar que não vai admitir violência. (Foto: Marcos Ermínio)

Após bater boca com uma produtora rural e afirmar que não vai admitir qualquer tipo de ameaça, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse aos jornalistas que quem incitar a violência em relação ao conflito indígena no Estado, será preso.

De acordo com o ministro, a polícia que está atuando nas áreas de conflito (Força Nacional, DOF, Polícia Federal e Exército) já está autorizada "a agir com rigor dentro dos limites da lei". Isso significa que, a partir de agora, quem incitar a violência, seja índio produtor rural ou qualquer cidadão, poderá ser preso e investigado.

"Só haverá mediação se houver paz. Qualquer pessoa que incitar a violência em área de conflito será presa e investigada. O governo não vai aceitar incitação de violência", disse o ministro durante coletiva a imprensa.

A incitação a violência foi amplamente vista em Antônio João durante o recente conflito entre índios e produtores rurais. Nas rádios locais, gravações avisavam que as pessoas deveriam ter medo dos índios que, ameaçavam atear fogo na cidade. Sem contar os boatos de fotos inverídicas de bens materiais queimados, cuja a autoria era creditada aos índios de forma errônea.

Do outro lado, há informações de que os produtores andam armados e ameaçam as famílias. A própria prefeitura do município afirma que há discriminação entre brancos e índios e não é incomum brigas entre adolescentes, por exemplo.

Com a declaração de hoje, o ministro quer coibir toda e qualquer incitação a violência que possa acirrar os ânimos, não só em Antônio João, como nos outros três municípios onde a Operação Dourados acontece.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions