A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

26/12/2013 13:54

Serviço de inteligência do TJMS apura“duas decisões” sobre cassação

Edivaldo Bitencourt, Lidiane Kober e Kleber Clajus

O TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) acionou o serviço de inteligência do órgão para investigar a existência de duas decisões sobre o pedido para suspender o processo de cassação do prefeito Alcides Bernal (PP). O pedido foi suspenso por determinação do vice-presidente, desembargador João Batista da Costa Marques.

Segundo os vereadores, na primeira manifestação, o magistrado indeferiu o pedido de liminar de Bernal para suspender o processo de cassação. A sessão de julgamento começaria às 8h de hoje e acabou sendo suspensa após a notificação do Poder Judiciário.

A polêmica começou com a publicação do primeiro despacho no site de consulta processual do TJMS, que mostrava o indeferimento do pedido feito pela defesa de Bernal.

Despacho de magistrado causa polêmica e será alvo de investigação (Foto: Marcos Ermínio)Despacho de magistrado causa polêmica e será alvo de investigação (Foto: Marcos Ermínio)
Trecho da Justiça que traz o erro na publicação e será investigado pelo Tribunal de Justiça (Foto: Divulgação)Trecho da Justiça que traz o erro na publicação e será investigado pelo Tribunal de Justiça (Foto: Divulgação)

No entanto, o despacho foi alterado para o deferimento da solicitação. Segundo o vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), houve erro de digitação. Ele até argumentou que o legislativo municipal já estava cumprindo a decisão do magistrado.

O TJMS chegou a convocar entrevista coletiva para esclarecer o “erro”. No entanto, a assessoria de imprensa desmarcou o evento agora há pouco. A informação do Tribunal de Justiça é de que a Assessoria de Inteligência da instituição vai apurar a publicação de dois despachos diferentes relativos ao mesmo pedido.

Antes de obter a decisão favorável do vice-presidente do TJMS, desembargador João Batista da Costa Marques, Bernal tinha perdido em outras três ocasiões. Ele não conseguiu suspender a Comissão Processante em primeira instância nem em dois pedidos na segunda. Esses últimos foram negados pelos desembargadores Hidelbrando Coelho Neto e Tânia Garcia Borges.



Todos conhecem esta máxima e o seu resultado. Mas se fosse hoje duvido que alguém acertaria. Bem vamos aos fatos: "ATIRE A PRIMEIRA PEDRA QUEM NÃO TIVER PECADO". A acusada foi absorvida. Se fosse hoje e no episódio da Câmara x Bernal, por certo o Bernal seria condenado e cassado e tudo terminaria com os vereadores rezando o "Pai nosso", tamanha a hipocrisia reinante em nossa sociedade. Alcides Dos Santos Ribeiro
 
Alcides dos Santos Ribeiro em 26/12/2013 18:48:55
aqui em ivinhema teve a mesma palhaçada mas o prefeito recorreu ate utima estancia mais foi pra rua
 
alceu gones em 26/12/2013 16:10:31
Q JUSTIÇA É ESSA? UMA HORA UMA COISA, OUTRA HORA OUTRA. ESSA NOSSA JUSTIÇA É UMA BAGUNÇA SÓ. NÃO É SÓ O EXECUTIVO E LEGISLATIVO QUE É UMA PIADA. NOSSO JUDICIÁRIO TAMBÉM, E TA PROVANDO ISSO
 
JOSÉ VICTOR em 26/12/2013 15:53:52
Se o Sr. Bernal consegue bagunçar até com os desembargadores do TJ/MS, imaginem o que ele não vai fazer com a nossa Campo Grande....Isso é uma vergonha.
 
Paulo Cesar em 26/12/2013 15:44:02
E AGORA...???? COMO VAI FICAR???/ SUSPENDE OU NÃO??? QUE COISA SEM GRAÇA..... FORA BERNAL FORA FORA ... QUE VOCE BERNAL AINDA TA FAZENDO AQUI EM CAMPO GRANDE????
 
ELY MONTEIRO em 26/12/2013 14:51:30
esta claro que existe um "erro providencial", pois este efeito suspensivo não tem sentido algum...cadê o autor para explicar sua decisão? soltou a bomba e saiu correndo? não acho que este senhor desembargador seria tão inconsequente...
 
aureliano sousa em 26/12/2013 14:38:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions