A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

29/08/2011 20:15

‘Só o Papa Bento 16 pacificaria PT e PMDB’, diz vice-prefeito de Corumbá

Edmir Conceição

Ricardo Eboli diz que com a pacificaçãoo Corumbá ganharia muito, já que as secretarias municipais trabalham articuladas com as secretarias do Governo do Estado.

O vice-prefeito de Corumbá, Ricardo Eboli (PMDB), disse que a relação do seu partido com o PT do prefeito Ruiter Cunha tem ‘duas situações’. Na parte institucional, tudo corre bem. Na parte política, não há entendimento. “Se o governador André Puccinelli e o prefeito Ruiter discutissem a pacificação, talvez mudaria, mas acho que só alguém com a habilidade do Papa Bento 16 teria condições”, disse Ricardo Eboli ao Campo Grande News.

Eboli culpa setores dos dois partidos. Segundo ele, ‘tanto no PT como no PMDB tem gente que fica alimentando a discórdia’. A proposta de vereadores de intermediarem a reconciliação entre o governador André Puccinelli, segundo o vice-prefeito, é inócua porque na Câmara estaria também um foco de discórdia.

O vice-prefeito disse que ‘se houvesse uma pacificação no campo político, Corumbá ganharia muito’, já que as secretarias municipais trabalham articuladas com as secretarias do Governo do Estado. Ricardo Eboli disse que faz esse trabalho institucional com 90% de resultados, mas lamenta que as fortes divergências, nos dois lados, impedem a pacificação da aliança. “Gostaríamos que a aliança estivesse 100%, como foi preconizado na eleição de 2008”.

Reedição da aliança - Para o vice-prefeito, é muito difícil, mas não impossível reeditar a aliança com PT. “Os partidos estão acima das lideranças, se houver entendimento é possível, mas a questão eleitoral, nesse momento, é outro contexto que só será possível encaminhar no ano que vem. Hoje nossa dificuldade maior é na relação política, administrativamente a aliança em Corumbá vai bem”, diz.

Os vereadores de Corumbá anunciaram a disposição de intermediar uma reaproximação do prefeito Ruiter Cunha com o governador André Puccinelli por entenderem que a cisão no relacionamento, além de ter cunho partidário, estaria prejudicando o desenvolvimento da cidade.



Quando essa suposta "vice" para o PMDB, somente quem viu o Dr. Sandro quase às lágrimas no plenário da Câmara Municipal é quem pode dizer que sabe dessa "aliança" foi produtiva que foi celebrada por meia dúzia na convenção do PMDB. Até hoje, e daquele período em diante, infelizmente, nada de bom foi materializado entre essa coligação. O "vice", exceto algumas "diárias" para especialização, cursos e outros, nada mais recebeu dessa gloriosa "aliança". Sou da seguinte teoria: Não se dá murro em ponta de faca, ainda mais se é a do inimigo.
 
Abmael Pereira em 29/08/2011 10:09:27
Meu amigo nem o Santissímo Papa conseguiria engolir a corja petista!!
 
sandra lima em 29/08/2011 08:40:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions