A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

11/09/2014 17:47

TCE muda data e escolha do presidente fica para depois do 2º turno

Ludyney Moura e Edivaldo Bitencourt
Cícero de Souza adiou a data e assessoria alegou excesso de trabalho (Foto: TCE)Cícero de Souza adiou a data e assessoria alegou excesso de trabalho (Foto: TCE)

O TCE (Tribunal de Contas do Estado) decidiu adiar a eleição para escolha de seu novo presidente, que agora só será conhecido após as eleições gerais deste ano. 

Nesta quinta-feira (11), o presidente do TCE, conselheiro Cícero de Souza, adiou a escolha de seu sucessor de 7 para 29 de outubro deste ano.

A inscrição das chapas também foi estendida do dia 22 de setembro para o dia 14 de outubro deste ano, conforme ato publicado no Diário Oficial do Tribunal de Contas de hoje.

Oficialmente, conforme a assessoria, a mudança ocorreu por "causa de excesso de processos à espera de julgamento e do grande volume de trabalho dos conselheiros". Além do presidente, eles vão escolher o vice e o corregedor-geral do TCE, para o biênio 2015-2016.

A nova data é apenas três dias antes da aposentadoria compulsória do presidente Cicero de Souza. O ex-deputado completa 70 anos de idade no dia 2 de novembro, o que o obriga a se afastar do Tribunal segundo o regulamento da Casa.

Ao todo, o órgão possui sete conselheiros, mas atualmente apenas seis compõem a corte, uma vez que com a aposentadoria de José Ancelmo dos Santos, hoje candidato a deputado estadual pelo PSB, o novo escolhido, o chefe da Casa Civil do governo do Estado, Osmar Jerônymo, ainda não tomou posse, e só deve fazê-lo após as eleições. Um auditor-substituto faz as vezes de conselheiro na vacância do titular.

Com a aposentadoria de Cícero de Souza, quem assume a presidência do TCE até o final de 2014 é o conselheiro José Ricardo Pereira Cabral, atual vice-presidente.

O nome mais cotado para o lugar de Cícero é do presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Jerson Domingos (PMDB). No entanto, ele tem dito que no caso de vitória do candidato a governador Delcídio do Amaral (PT), pode ocupar uma secretaria e ceder a vaga para o deputado estadual Antonio Carlos Arroyo (PR). Os dois desistiram de disputar a reeleição neste ano. Como a vaga cabe ao legislativo estadual, Domingos teria a nomeação assegurada.

Cabe ao TCE, realizar fiscalizações e auditorias, por iniciativa própria ou por proposta do Ministério Público, além de examinar e julgar a regularidade das contas dos gestores públicos estaduais e municipais.

Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions