ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  05    CAMPO GRANDE 18º

Política

Temer vem à Capital para autorizar reforma em escola, confirma governo

Ministro da Educação deve acompanhar presidente durante compromissos em Campo Grande

Por Liniker Ribeiro | 12/11/2018 08:08
Presidente Michel Temer e Reinaldo Azambuja, governador de Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação)
Presidente Michel Temer e Reinaldo Azambuja, governador de Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação)

O Governo de Mato Grosso do Sul confirmou a presença do Presidente da República Michel Temer (MDB), nesta terça-feira (13), em Campo Grande. Acompanhado do ministro da Educação, Rossieli Soares, Temer autorizará ao lado do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), obras de restauração e melhorias na Escola Estadual Lúcia Martins Coelho.

Conforme adiantado pelo Campo Grande News na coluna Jogo Aberto desta segunda-feira (12), a visita de Temer começou a ser preparada na semana passada, quando equipes do Bope (Batalhão de Operações Especiais) estiveram vistoriando dependências da escola.

Conforme assessoria de imprensa do governo, a cerimônia que contará com a presença do presidente está prevista para às 10h, na própria escola. A secretária de Estado de Educação, Maria Cecília Amendola da Motta, também participa do evento.

Com 260 alunos matriculados, a Escola Lúcia Martins Coelho atende há dois anos na modalidade em tempo integral. Serão investidos R$ 2,9 milhões na obra de revitalização da unidade de ensino, sendo R$ 2,1 milhões em recursos do governo estadual.

Outra escola que deve receber Temer é a José Barbosa Rodrigues, no bairro Universitário. No local será realizada cerimônia de entrega da obra de ampliação e reforma do prédio, que começou em novembro de 2017 e foi concluída no mês de setembro. O evento está programado para começar às 11h30.

A unidade teve os banheiros reformados, além da construção de uma sala de convívio para professores, ampliação da cozinha e refeitório, troca do sistema de iluminação e pintura. Ao todo, 420 estudantes estão matriculados, atualmente, na escola.

Apesar da confirmação do governo, os compromissos em Campo Grande ainda não foram publicados pelo Planalto na agenda do presidente.