ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SÁBADO  28    CAMPO GRANDE 22º

Direto das ruas

Caçambas prejudicam tráfego de veículos no bairro Azaléia

Por Alan Diógenes | 18/03/2014 21:56
Caçambas foram colocadas bem na esquina e atrapalha quem vira para entrar na rua. (Foto: WhatsApp)
Caçambas foram colocadas bem na esquina e atrapalha quem vira para entrar na rua. (Foto: WhatsApp)

Moradores do bairro Azaléia, em Campo Grande, estão incomodados com a quantidade de caçambas estacionadas na rua Geórgia Urubici, próximo a avenida Santa Elvira. Segundo a população, elas atrapalham o tráfego de veículos no local.

De acordo com a moradora identificada por T.B., 26 anos, duas caçambas foram colocadas bem na esquina, e atrapalham o motorista que faz a curva para entrar na rua Geórgia Urubici. Outra caçamba está bem no meio da via e incomoda os vizinhos a entrarem nas garagens.

“Fica ruim de fazer a curva, e se continuar assim pode acontecer algum acidente aqui. Quem não conhece a rua pode não enxergar as caçambas e acabar batendo nelas”, alega T.B.

No bairro está sendo construído um prédio, e as caçambas foram colocadas na manhã desta terça-feira (18) para o descarte de restos de construção. Além das caçambas, um caminhão que vem entregar materiais na obra também está atrapalhando o fluxo de veículos na região.

Segundo T.B. na noite de hoje as caçambas já estavam lotadas, mas mesmo assim não foram descarregadas pelos proprietários da obra.

Para ela a dono da construção deveria ter consciência do transtorno que está causando. Uma solução apontada por T.B. seria colocar as caçambas com certo espaço uma das outras.

Ela conta que na rua sempre existiram construções como essa, mas nenhuma tinha causado tantos problemas. “Uma vez ou outra tem alguém construindo aqui, mas de uns tempos para cá, está piorando o número de construções e aumentando os problemas”, finalizou.

Moradores reclamam que possuem dificuldade de entrar nas garagens. (Foto: WhatsApp)
Moradores reclamam que possuem dificuldade de entrar nas garagens. (Foto: WhatsApp)
Caçambas já estão cheias, mas ainda não foram descarregadas. (Foto: WhatsApp)
Caçambas já estão cheias, mas ainda não foram descarregadas. (Foto: WhatsApp)