A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 18 de Agosto de 2018

12/03/2018 18:05

Internet para Todos funcionará em 6 locais e Capital promete melhorar rede

Campo Grande adere a programa federal que leverá acesso a serviços públicos em locais da zona rural; Agetec traça planos para reparar e otimizar a rede pública existente na zona urbana

Humberto Marques
Marquinhos participou nesta segunda-feira da solenidade de adesão ao Internet para Todos, na presença do presidente Michel Temer, em Brasília. (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)Marquinhos participou nesta segunda-feira da solenidade de adesão ao Internet para Todos, na presença do presidente Michel Temer, em Brasília. (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Seis localidades de Campo Grande serão contempladas pelo programa federal Internet para Todos, do governo federal, conforme termo assinado na tarde desta segunda-feira (12) em Brasília pelo presidente Michel Temer e o prefeito Marquinhos Trad (PSD). A iniciativa, em um primeiro momento, estará focada em áreas localizadas na zona rural ou onde há dificuldades de acesso de aparelhos públicos à internet –como escolas e postos de saúde.

Para a zona urbana, a administração da Capital espera, em breve, realizar reparos e melhorias em um sistema de comunicação via rádio que ajudará, por exemplo, a contornar problemas causados por rompimentos na rede de fibra óptica existente. A expectativa é de se dar início às contratações necessárias para essa rede nos próximos dois meses.

O acordo assinado em Brasília permitirá a Campo Grande se utilizar da conexão viabilizada pelo SGDC (Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas), em órbita desde maio de 2017 e que já teve R$ 3 bilhões em investimentos. O sistema, inicialmente focado na área de Defesa, permitirá a conexão de banda larga em escolas e unidades de saúde, por exemplo.

A conexão se dará por meio da instalação de antenas. Em Campo Grande, elas ficarão na colônia do Aguão (a 35 km ao norte da sede de Campo Grande, na MS-080, a caminho de Rochedo); Comunidade Quilombola Chácara Buriti e Escola Municipal 8 de Dezembro, na Comunidade Santa Luzia (ambas as localidades na região do distrito de Anhanduí); no distrito de Rochedinho; na Escola Municipal Leovegildo de Melo (próxima à Unei Dom Bosco); e na Escola Municipal José do Patrocínio (a 30 km da zona urbana, ao sul, pela BR-163).

Marquinhos e Paulo Fernando, da Agetec: Internet para Todos chegará primeiro a seis localidades da zona rural do município. (Foto: PMCG/Divulgação)Marquinhos e Paulo Fernando, da Agetec: Internet para Todos chegará primeiro a seis localidades da zona rural do município. (Foto: PMCG/Divulgação)

“Listamos alguns locais, como as escolas agrícolas e unidades de saúde”, afirmou o diretor-presidente da Agetec (Agência Municipal de Tecnologia), Paulo Fernando Garcia Cardoso, ao explicar que coube ao Paço Municipal indicar onde as antenas do Internet para Todos serão posicionadas. Como contrapartida, prosseguiu ele, o município ficará responsável pela doação das áreas para instalação das estruturas, custeio da energia elétrica e da segurança das torres.

“Através da instalação das antenas estrategicamente distribuídas, o programa possibilitará que lugares remotos tenham condições de receber o sinal de internet enviado pelo primeiro satélite brasileiro geoestacionário. Com isso, escolas e postos de saúde serão beneficiados nos próximos anos”, declarou o prefeito Marquinhos Trad, via assessoria.

Conexões – O Internet para Todos é focado na prestação de serviço para instituições públicas que dependem do sinal de internet para melhor atender a população, caso de escolas e postos de saúde. Paulo Fernando afirmou, contudo, que a ideia em longo prazo é permitir que a população tenha cobertura em locais onde o sinal é inexistente e a um custo mais baixo ou, por meio de convênios, leve o serviço organizações que prestam serviços comunitários.

Campo Grande foi a primeira capital a aderir ao projeto, porém, ainda não há uma data exata para instalação das torres. O governo federal espera instalar as primeiras estruturas em maio nas 300 primeiras cidades que integram o Internet para Todos. “A meta é de se instalar 200 torres por dia”, lembrou o diretor da Agetec.

Local – Para as áreas urbanizadas de Campo Grande, sobretudo na sede do município, Paulo Fernando afirma haver projetos em andamento para melhorar a cobertura do sinal de internet usado por repartições públicas e unidades de atendimento à população. Um dos desafios é reconectar áreas hoje prejudicadas pelo rompimento da rede de fibra óptica.

Temer lembrou que projeto é discutido desde 2005 no Brasil. (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)Temer lembrou que projeto é discutido desde 2005 no Brasil. (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

O diretor da Agetec cita como exemplo o trecho entre o data-center da prefeitura, no Horto Florestal, e a sede da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), no Jardim Colibri II, onde há 15 pontos de rompimento na rede física. A ideia é realizar os reparos nos cabos de fibra óptica, que tem melhor qualidade de sinal. Hoje, é usada rede via rádio em substituição ao sistema com problema.

“As aquisições estão na fase final. A Diretoria de Compras vai apresentar os questionamentos finais e, nos próximos dois meses, teremos condições de adquirir os equipamentos que vão acabar com os ‘pontos cegos’ na nossa conexão”, explicou o diretor.

A Prefeitura de Campo Grande também pretende utilizar parte da banda do SGDC reservada para atendimentos na área de saúde. Cerca de 10 mil conexões serão reservadas pelo governo federal para o setor. Marquinhos deve ir a Brasília nos próximos dias para tratar do tema.

Apesar dos investimentos, no momento, a Prefeitura da Capital descarta ampliações na rede de acesso aberto à população. O Internet Morena, hoje, está restrito à praça Ary Coelho e funcionou na Cidade do Natal no fim do ano. Caso o sistema seja ampliado neste momento, poderia causar prejuízos aos órgãos públicos que dependem da internet fornecida pelo Paço.

“Não podemos oferecer a internet livre sob o risco de perdermos alcance e não acabarmos com nossa banda de conexão. A internet pública também é restrita, voltada a facilidades oferecidas pelo poder público”, destacou o diretor. A intenção é de, no futuro, com as devidas condições, voltar a oferecer a conexão gratuita à população.

Internet para Todos – Lançado por Michel Temer na presença de 2.471 prefeitos do país, o Internet para Todos usará estrutura que também será usada para o monitoramento do tráfico nas fronteiras e levará banda larga a 7 mil escolas públicas, hospitais e postos de saúde, como detalhado pelo ministro Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia). O sistema recebeu R$ 3 bilhões em investimentos.

“Desde 2005 já se falava desse tema de levar a banda larga para todos os municípios e escolas públicas. Hoje, nós podemos comemorar algo que diz respeito aos países mais avançados do mundo, nós estamos levando banda larga para todos os municípios brasileiros”, declarou Temer, segundo a Agência Brasil.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions