ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  29    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Polícia conclui que racha causou morte em avenida e indicia dois

Por Francisco Júnior e Viviane Oliveira | 11/04/2013 11:10
Carro ficou destruído. (Foto> Nyelder Rodrigues)
Carro ficou destruído. (Foto> Nyelder Rodrigues)

A Polícia Civil concluiu que um racha foi a causa do acidente que provocou a morte Marcus Vinícius Henrique de Abreu, de 22 anos, no dia 31 de março deste ano na avenida Duque de Caxias, em Campo Grande. A competição não autorizada envolveu um Citroen C3 e um Polo, conduzido pela vítima. Dois homens foram indiciados pela tragédia.

O condutor do C3, Ryan Douglas Werner Vieira, 20 anos, foi indiciado pelos crimes de homicídio doloso, lesão corporal e participação em competição não autorizada. Ele continua preso. O militar, que conduzia um veículo Celta e não teve o nome revelado, também foi indiciado por competição não autorizada. Conforme apurada durante a investigação, ele tirou racha com o motorista do C3 na avenida Afonso Pena minutos antes do acidente na Duque de Caxias.

O delegado da 7ª Delegacia, responsável por investigar o caso, Natanael Balduíno, já encaminhou o inquérito para o MPE (Ministério Público Estadual). Porém, ainda aguarda os laudos periciais dos dois veículos, do local do acidente, do exame necroscópico de Marcus e da lesão corporal de Letícia Souza Santos, de 23 anos, que ficou ferida no acidente. Ela era passageira no Polo. “Os exames ainda estão dentro do prazo e também serão encaminhados para o MPE”, explica o delegado.

Conforme o delegado, só com resultado dos exames periciais será possível dizer a velocidade que estavam os dois carros envolvidos e quem causou a primeira colisão, que culminou com Polo atingindo o poste. “A versão mais pertinente é de que o C3 bateu no Polo e depois os dois colidiram em mais dois outros veículos, e em seguida o Polo acabou batendo contra o poste”, contou.

Segundo Natanael, várias pessoas confirmaram que os dois veículos estavam disputando racha na avenida.

Caso - O acidente aconteceu na noite de 31 de março deste ano. Marcos Vinícius ainda chegou a ser socorrido para a Santa Casa, mas morreu horas depois. A namorada dele, Letícia, também estava no carro. Ela sobreviveu, ficou internada no hospital, mas já recebeu alta.

O condutor do C3, Rayan Douglas Werner Vieira, foi preso em flagrante e encaminhado para a delegacia na ocasião. A colisão foi tão violenta, que o Polo foi partido ao meio com o choque no poste, que ficou destruído.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário