ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 28º

Lugares por Onde Ando

Que tal aproveitar o "feriadão" no Carnaval para ouvir canto de pássaros?

O Carnaval não é considerado feriado nacional, mas o difícil é resistir a parada de quatro dias para entrar na folia ou viajar

Por Paulo Nonato de Souza | 04/02/2020 06:22
Casal de rolinhas “fogo apagou” no Recanto Ecológico Rio da Prata, em Jardim (Foto: Marcos Dias)
Casal de rolinhas “fogo apagou” no Recanto Ecológico Rio da Prata, em Jardim (Foto: Marcos Dias)

Este ano, a segunda-feira e a terça-feira de Carnaval cairão nos dias 24 e 25 de fevereiro, respectivamente. Se você não pretende pular no Carnaval, muito pelo contrário, deseja ficar longe da folia em um cenário que nada lembre o Reinado de Momo, curtir a natureza e o canto dos pássaros pode ser uma boa alternativa sem sair de Mato Grosso do Sul.

É um feriadão extraoficial. Isso porque o Carnaval não é considerado feriado nacional, exceção de alguns estados ou municípios onde existem leis que oficializam a liberação dos trabalhadores, mas o difícil é resistir a folga de quatro dias, a contar do sábado e domingo para entrar na folia ou viajar.

Aproveitar para fazer birdwatching (observador de aves) pode ser uma boa alternativa. Mato Grosso do Sul é um estado favorecido pela natureza, abriga centenas de espécies, algumas raras, outras ameaçadas de extinção. Só no Pantanal são 650 espécies de aves, quase metade das 1.809 tipos diferentes de aves catalogadas em todo o Brasil.

O Brasil é segundo país do mundo com a maior diversidade de aves, atrás apenas da Colômbia que tem 1.877 catalogadas, e certamente Mato Grosso do Sul ocupa lugar de destaque como um destino importante para os observadores de aves.

Pica-pau do campo na região da Serra da Bodoquena, uma das espécies de aves que podem ser avistadas em Mato Grosso do Sul (Foto: Daniel de Granville)
Pica-pau do campo na região da Serra da Bodoquena, uma das espécies de aves que podem ser avistadas em Mato Grosso do Sul (Foto: Daniel de Granville)

Não apenas na região pantaneira, mas também no Parque Nacional da Serra da Bodoquena, que envolve quatro municípios considerados referencias do turismo de natureza: Bonito, Jardim, Bodoquena e Porto Murtinho.

Não estranhe se nesses lugares você cruzar com pessoas de binoculo nas mãos ou pendurados no pescoço. São os observadores de aves, um universo cada vez maior que atrair brasileiros e estrangeiros. “No lugar da máquina fotográfica a gente usa o binóculo, normalmente nem lembramos de pegar o telefone para fazer uma foto”, disse o professor Ziraldo Silva Oliveira.

Segundo Ziraldo, observar aves virou sua diversão preferida. “Tenho ido sempre ao Recanto Ecológico Rio da Prata (distante 36 km em relação ao centro de Jardim), que oferece um passeio voltado exclusivamente para a observação de aves dentro de uma reserva particular, mas tenho planos de ir lá pelos lados do Pantanal”, comentou ele.

“Nesse hobby a gente observa não apenas aves, mas a natureza no geral, e ainda aproveita para fazer uma caminhada”, ressaltou. A fazenda Recanto Ecológico Rio da Prata fica em uma região de grande diversidade ambiental do município de Jardim. É considerada lugar estratégico para a observação de aves com 233 espécies registradas, como o biguatinga, socó-boi, acauã, periquito-da-serra e o udu-de-coroa-azul.

Algumas dicas importantes:

– Levar binóculo, nunca entrar na mata sozinho, de preferência acompanhado de um guia especializado em aves;
– Caminhar lentamente e sem movimentos bruscos pela vegetação, porque o silêncio é fundamental;
– Usar trajes com cores discretas e respeitar uma distância mínima para que a ave não se sinta ameaçada;
– Ter paciência e olhos bem atentos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário