A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 30 de Março de 2017

06/02/2014 14:26

A patrulha politicamente correta não aceita fiança

Por Bene Barbosa (*)

Não raramente algum famoso se envolve em polêmica ao posar para fotos com uma arma, mesmo que essa arma seja de pressão ou de brinquedo. Não há absolutamente nenhum crime nisso, mas a patrulha politicamente correta, aquela que acredita que tem o direito divino de escolher o que é bom ou o que é ruim, costuma não perdoar.

Na última sexta-feira (31/01) o caso foi mais grave. O cantor sertanejo Leonardo foi preso no aeroporto JK, em Brasília, ao tentar embarcar com 20 cartuchos de munição calibre .22LR. Sim, o que ele fez é crime previsto no malfadado Estatuto do Desarmamento, aquela lei que é responsável por desarmar o cidadão enquanto não passa nem perto de desarmar os criminosos.

Arma! Uma palavrinha que causa histeria na patrulha. Nas redes sociais já começam pipocar os comentários, as críticas e os xingamentos, alguns impublicáveis. De uma hora para outra todos se transformam em especialistas em armas e munições, em inquisidores que alegremente juntam a lenha para fogueira em praça púbica e em verdadeiros ditadores dos bons costumes. Tivesse ele matado a mãe a marretadas as críticas não seriam tão ferozes.

Qual o real risco para a caótica segurança pública de alguém, sem qualquer histórico criminal, possuir alguns cartuchos desse diminuto calibre? Nenhum. Pretendia ele fazer o quê? Abastecer uma perigosa quadrilha de traficantes? Tudo me leva a crer que não passou de uma grande bobagem, como levar alguns cartuchos para o caseiro ou para acertar algumas latinhas na fazenda. Nossos legisladores precisam parar de brincar com esse assunto, tratando-o como marketing político enquanto a criminalidade mete o pé, muitas vezes literalmente, na porta de nossas casas.

Se há algo a criticar é que a maioria absoluta dos famosos aceita com passividade a ditadura do politicamente correto. Se escondem, fingem, mentem, se tornam hipócritas. Falam de sexo, de drogas, de mulheres, de bebida… mas de armas? Nunca! Jamais! Isso não! Histeria, oh histeria...

Leonardo pagou a fiança de 10 mil reais, responderá um processo criminal, pode vir a ser condenado ou absolvido. Terá bons advogados e alguma dor de cabeça, mas sabemos que a lei no Brasil é bastante flexível para aqueles que sabem que botões apertar. E quando isso ocorre com um pequeno sitiante? Um pedreiro? Um motorista de ônibus? Normalmente é o “fim da vida” para essa pessoal.

Aos famosos, aprendam que a patrulha politicamente correta não aceita fiança, tampouco bons advogados, e que muito melhor seria que atuassem para modificar a lei, em vez de simplesmente tentar burlá-la sorrateiramente.

(*) Bene Barbosa é especialista em segurança pública e presidente do Movimento Viva Brasil

Dentro de casa só a verdade
Como viver em família mascarando a verdade? Não sei como é em sua casa, mas assumir a verdade em seu lar é a melhor escolha. Podem existir situações ...
Carne Fraca: operação eficaz ou midiática?
O dia 17 de março de 2017 marcou três anos da prisão de Alberto Youseef, estopim da operação Lava Jato. Em 17 de abril de 2014, o Brasil começava a m...
O que muda com a nova Lei da Terceirização aprovada pela Câmara
Quarta-feira passada a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que regula a terceirização, a principal alteração trazida pelo PL 4330/04 é a po...
Eis que eu renovo todas as coisas ...
Neste início do outono, a estação mais bonita do ano para mim, aquela que considero “a minha estação”, há uma característica metafísica que a torna d...



excelente reportagem. Meus sinceros parabéns ao Sr Bene Barbosa. Se o governo conseguir retirar T O D A S as armas das mãos dos bandidos, com certeza deixarei de ter uma, mas como esse dia N U N C A vai chegar, acho que tenho o direito de pelo menos TENTAR me defender. Não acredito em segurança publica e nem na justiça do País.Ferro e fogo aço e balaço.
 
Alex André de Souza em 06/02/2014 15:01:34
Excelente artigo Sr. Bene Barbosa. Parabéns!

Existe muita falsa moral e muita hipocrisia. E a maioria das leis só são criadas a benefício de alguns poucos.
 
André Castanho em 06/02/2014 14:38:52
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions