A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 14 de Novembro de 2018

17/10/2017 07:31

A tarefa da comunicação é urgente para a área de CT&I

Por Vanderlan da Silva Bolzani (*)

Pesquisadores e professores da universidade brasileira sempre tiveram, de forma institucional, o compromisso de explicar à sociedade os resultados do trabalho que fazem e sua relevância. Hoje, entretanto, essa tarefa ganhou importância muito maior diante da necessidade de mostrar para a opinião pública os prejuízos do avassalador retrocesso que está em curso com os cortes do orçamento na área de CT&I.

Não se trata de um debate sobre a melhor forma de alocar recursos para ciência e tecnologia. O que está acontecendo é uma quebra unilateral de “contrato”, pois políticas estabelecidas e programadas, que envolveram muitos investimentos, estão sendo interrompidas sem diálogo e sem qualquer sensibilidade por parte do governo para as perdas que o País terá no futuro. O que está em jogo é um modelo que vem sendo gestado há décadas e chegou ao formato atual como o mais adequado para atender as necessidades do País

Registra-se hoje aqui e em outros países uma tendência de cobrança de resultados rápidos da atividade científica frente aos gastos públicos, assim como dos ganhos concretos que ela traz para a sociedade. No entanto, quando se analisa o cenário atual, algumas perguntas são inevitáveis e podem nos ajudar a enfrentar o desafio da comunicação e da divulgação científica.

Quais são as opções para um país, com um corpo qualificado de cientistas, que apresenta enormes demandas na área de saúde e gastos crescentes com a importação de medicamentos? Que tem atuado com sucesso na substituição de combustíveis fósseis por fontes renováveis de energia, com a perspectiva de novos sucessos? Que precisa de conhecimento para explorar o vasto potencial de sua biodiversidade em várias áreas, inclusive na de alimentos? Parece haver somente uma resposta que é investir em ciência e tecnologia. A tarefa, na qual temos pouca experiência, é fazer com que essa resposta chegue à população.

A maior parte da comunidade científica foi pega de surpresa com os cortes no orçamento do MCTIC. Entretanto, aos poucos começaram a surgir análises e manifestações de entidades representantes de docentes e pesquisadores, de sociedades científicas, grandes canais de TV e da imprensa de grande circulação. Multiplicam-se nas redes sociais os espaços de apoio às reivindicações. Três “Marchas pela Ciência” deram impulso à mobilização, a última com mil pessoas na avenida Paulista. No último dia 10, representantes de 70 entidades científicas e acadêmicas lotaram um dos auditórios no Congresso Nacional para pressionar o governo a rever tais cortes. A manifestação dos cientistas na Câmara dos Deputados encontrou receptividade em um número expressivo de parlamentares que se mostraram sensibilizados com as preocupações e reivindicações.

Esse esforço vem crescendo e tem um potencial importante que é a congregação de integrantes de várias partes do Brasil rumo a um movimento que extrapole o ambiente acadêmico na defesa de uma política de Estado para ciência e tecnologia. Mas ele precisa ser acompanhado de ações constantes, e partindo da comunidade acadêmica, de mais criatividade, para que a mensagem chegue aos principais interessados, isto é, a toda a sociedade brasileira.

(*) Vanderlan da Silva Bolzani é professora titular do Instituto de Química da Unesp de Araraquara e e vice-presidente Fundunesp e da SBPC.

O Império Romano é aqui
Estudar História é uma das melhores formas de aprender. Quase tudo o que ocorre atualmente de alguma forma já ocorreu no passado. Se formos capazes d...
Melhorar o PIB e os empregos
Grande parte dos problemas do Brasil refere-se ao descontrole das contas internas e externas, da falta de dar atenção ao que é prioritário e aos horr...
Como destravar o comércio exterior
Como parece que o presidente eleito Jair Bolsonaro desistiu de incorporar o MDIC (Ministério da Indústria, Comércio e Exterior e Serviços ao Ministér...
O bilinguismo no século XXI
Dominar uma segunda língua - no caso o inglês, atualmente utilizado entre falantes de outros idiomas para se comunicarem no mundo - traz amplos benef...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions