A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Junho de 2018

20/05/2017 15:00

Finanças em ordem

Por Luiz Gonzaga Bertelli (*)

Apesar do alto índice de desemprego, grande parte das empresas sente dificuldade em contratar profissionais qualificados para atuar na área de finanças. É o que aponta um estudo da empresa de recrutamento Robert Half: 55% das organizações ouvidas reclamam da falta de opções na hora de contratar.

Apenas 10% dos diretores financeiros não relatam problemas. Historicamente, a oferta de profissionais no setor sempre foi escassa. Mas a situação agravou-se com a crise econômica, que dificulta a movimentação de especialistas entre as empresas. Como o setor é estratégico durante períodos de crise, a demanda pela área cresce e as empresas sentem mais dificuldades.

Outra questão abordada na pesquisa está relacionada à formação dos candidatos. Antes as companhias reuniam profissionais especializados em áreas específicas como tributos, auditoria e controladoria. Com o agravamento econômico e a alternativa de enxugar os quadros, as organizações querem um colaborador completo, que tenha uma visão mais ampla para atuar em várias áreas.

Para trabalhar com finanças, o profissional precisa ter aptidão para seguir normas, atuar o tempo todo sob pressão e trazer resultados a curto prazo. Cursos de especialização e MBAs no Brasil e no exterior são cada vez mais exigidos para altos executivos do setor.

Uma alternativa para criar um ambiente favorável à formação de novos talentos está no desenvolvimento da educação financeira entre os jovens. Uma pessoa ciente dos conceitos e da importância de gerir as finanças pessoais terá mais condições de se interessar e aprofundar-se no tema. Na semana passada, o CIEE promoveu a Semana de Educação Financeira, em parceria com o Banco Central, com o objetivo de estimular os jovens e seus familiares para a consciência sobre a gestão dos orçamentos. O programa contou com espetáculos de teatro, palestras de conscientização, exposição e treinamentos de instrutores. Dessa forma, o CIEE acredita estar ajudando às novas gerações a assumir uma postura mais saudável em relação às finanças e, quem sabe, abrir oportunidades para a formação de novos talentos no setor.

(*) Luiz Gonzaga Bertelli é presidente do Conselho de Administração do CIEE, do Conselho Diretor do CIEE Nacional e da Academia Paulista de História (APH)

A liberdade está sob ameaça dos insensatos
A contundente e oportuna defesa da liberdade de imprensa feita, em seminário recente, pela Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministra Cármen Lú...
Importa que a coisa ande
Independente do resultado de sua votação em plenário, o Projeto de Lei 3200 (sobre o registro de defensivos agrícolas) deu um passo importantíssimo c...
A Rússia que você não vai ver na Copa
‘Sob nuvens elétricas’ é um filme que, ambientado em 2017, um século após a Revolução Bolchevique, mostra uma Rússia que não aparecerá na Copa do Mun...
Analgésico esférico
A história se repete. Nesta semana de abertura da Copa os olhos mundiais se voltam para a Rússia, um país que esconde enorme população vivendo abaixo...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions