A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Maio de 2017

08/11/2012 10:00

Mao Tsé Tung, mensalão e "pizzaiolos"

Por Valfrido Chaves (*)

“Desorganizai tudo que existe de bom nos pais inimigo. Tentai envolver as mais altas esferas dirigentes, em empreendimentos criminosas, comprometendo-lhes as posições. Isso feito, conforme a oportunidade, daí publicidade às suas prevaricações. Entrai, igualmente, em contato com os indivíduos mais baixos e perigosos. Molestai, por todos os meios e modos, a ação do governo; promovei discussões e discórdias entre os cidadãos. Lançai os velhos contra os jovens. Perturbai o abastecimento e o aprovisionamento das Forças Armadas” (Mao).

Não sei se leitor consideraria de bom tom fazer uma leitura de alguns fatos atuais da política brasileira, à luz do pensamento de Mao Tsé Tung, exposto no parágrafo anterior . Aí estão os mensalões e mensalinhos que seus protagonistas tentam esconder com tropas de choque, movimentos sociais pelegos, mentiras descaradas, inocências empostadas e teorias conspiratórias.

Nestas, discutir, julgar ou denunciar o "Mensalão" se resumiria à um “golpe das elites” contra o “governo popular”... Gostaríamos de chamar a atenção que, quanto mais cretinas forem as mentiras, quanto mais a impunidade for descarada, quanto mais os altos escalões forem enlameados, maior será descrença de todos nas instituições democráticas que, a duras penas e com todas as falhas, tantos brasileiros tentam construir e preservar

É preciso entender que a descrença nas instituições democráticas, cujas prerrogativas seus inimigos entre nós usam para “suicidá-la”, é a condição necessária para que, assim pensam eles, a massas populares possam ser manipuladas através dos “movimentos sociais” pelegos, alimentados com recursos públicos, para explodirem nos calendários vermelhos que seus lideres, de público, chegam a anunciar.

As extorsões, o assalto aos cofres públicos, a aliança com o sub-mundo dos negócios, a briga entre quadrilhas no poder, tudo, caro leitor, deve resultar em mais descrença e ataque à auto estima coletiva de nosso povo. Essa é uma prática, um “avanço” que tem toda uma teoria e um princípio a norteá-lo: “os fins justificam as malas e as mentiras”.

A impunidade de corruptos e corruptores, que transformaria as CPIs numa fraternidade de “pizzaiolos”, seria uma jóia a coroar a competente “praxis” maoísta em curso. Se o julgamento do "Mensalão" pelo STF não corre conforme o desejo dos criminosos no poder, cujas ações foram magistralmente definidas pelo Ministro Celso de Mello como "macrodelinquência govenamental", o "passo adiante" revolucionário será desmoralizar nossa Corte Suprema, até internacionalmente.

Quem viver, verá.

(*) Valfrido M. Chaves é psiquiatra

Admirável (ou Abominável) Mundo Novo
Volto a escrever sobre a Previdência. Não me move o oportunismo de aproveitar o mau momento do governo que promove reformas tidas e havidas como rede...
A questão ambiental nas empresas
A questão ambiental há algum tempo tem emergido como uma questão importante na gestão das empresas e os benefícios estratégicos da preservação ambien...
O fim da escola sem fim
As raízes mais remotas da escola, tal como nós a conhecemos hoje, estão depositadas na Grécia Antiga, especialmente referenciadas, ao redor do século...
Finanças em ordem
Apesar do alto índice de desemprego, grande parte das empresas sente dificuldade em contratar profissionais qualificados para atuar na área de finanç...



Concordo plenamente com o autor. Os comunistas estão mesmo no poder e grande parte deles são aqueles mesmos que foram rechaçados pela ação benévola da Revolução Democrática de 1964.
 
Délcio Afonso Vilela em 08/11/2012 12:18:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions