A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 26 de Março de 2017

16/12/2011 07:05

Natal e e-commerce, a combinação perfeita de compras e vendas

Por Arnaldo Korn*

O Natal se aproxima e junto com ele vem o aumento considerável das vendas, tanto em lojas físicas quanto pela internet. Hoje em dia, o público tem assídua frequentação aos sites de compras, justamente pela escolha rápida, entrega em casa e, muitas vezes, preços mais acessíveis que o do mercado em geral.

Com essa tendência de “fazer de tudo sem sair de casa”, o e-commerce cresce a cada ano e, em 2011, houve 30% a mais de resultados do que no ano passado. Na época da festa natalina não é diferente, mas existem pontos a serem considerados de extrema importância, tanto para o consumidor quanto para o vendedor.

No primeiro caso, quem compra precisa estar atento aos prazos de entrega do produto, bem como aos itens básicos de segurança em compras online, como a atualização dos softwares, cuidados com senhas de qualquer tipo, não utilizar lan houses e verificar a existência do cadeado no canto inferior da tela, onde constam todas as informações do certificado que corresponde ao endereço do seu navegador.

Um bom conselho – e este sempre resolve qualquer dúvida do consumidor – é acessar os sites de reclamações, blogs e até mesmo as redes sociais para verificar se a empresa ou site da compra é realmente uma boa opção. Muitas vezes é possível observar por meio desses sites o quanto a rede inserida no e-commerce preza pela qualidade de seu serviço.

Já no caso de quem está vendendo, a preparação para o Natal requer atenção extrema. O comerciante precisa ficar de olhos abertos para o estoque, entregar o produto no prazo indicado para que a empresa não tenha sua reputação manchada – pois mesmo algo tão pequeno pode estragar a imagem – e por esta razão contar com um planejamento aprimorado e uma logística eficaz.

Tudo isso faz a diferença para os lojistas em relação aos concorrentes do mercado eletrônico. Mas tão importante quanto isso é saber “o que falam do seu comércio eletrônico na internet”. Do mesmo modo que o e-consumidor deve pesquisar a respeito do vendedor nos sites de reclamações, as empresas necessitam e muito, fazer o mesmo tipo de coisa, porém em um processo inverso.

Se há reclamações há de ter respostas para satisfazer o cliente, tanto aquele que reclamou quanto aquele que está apenas pesquisando. O mundo eletrônico não é apenas planejamento, mas sim uma comunicação estratégica para conquistar quem quer comprar e por parte de quem quer vender. Quando ambos fazem a sua parte, consumidor e empresa sentem-se satisfeitos com a compra e a venda bem feita.

O conforto de ficar em casa e receber o produto em mãos têm sido um dos principais pontos para o crescimento do e-commerce no Natal, porém, há muito que melhorar. Adaptando-se às exigências do mercado, o e-commerce ganha ainda mais em aprimoramento e consumo. Por isso, preparem-se bem e façam boas compras.

(*) Arnaldo Korn, diretor presidente do portal Pagamento Já

(pagamentoja.com.br)

Glifosato: o veneno está em todo lugar
O primeiro teste em alimentos para resíduos de glifosato realizado por laboratório registrado na Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estado...
Falácias da terceirização
A Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira, o projeto de lei que autoriza a terceirização do trabalho de forma irrestrita. Com esta aprovação, a...
Operação Carne Fraca: importância da fiscalização
“Quanto menos as pessoas souberem como são feitas as leis e as salsichas melhor elas dormirão” (Otto Von Bismarck -1815-1898). Esta frase famosa de B...
O custo da violência no trânsito brasileiro
A imprudência no trânsito mata cerca de 45 mil pessoas por ano no Brasil e deixa aproximadamente 600 mil com sequelas permanentes, conforme aponta o ...



A reportagem deveria ter mencionado os problemas que os consumidores passaram a ter depois da decisão do governo com relação ao ICMS. Os produtos estão sendo retidos e o prazo para entrega simplesmente não existe mais.
 
Leandro Batista em 16/12/2011 11:45:34
Não é bem assim em MS, pois toda compra de elétro-eletrônico via internet estão ficando retidas pela SEFAZ, gerando termos fiscais referente ao ICMS que vai contra a Constituição Brasileira e quem sai prejudicado com isso, são as Distribuidoras e o consumidor que está recebendo suas compras com atraso.
 
anderson silva em 16/12/2011 09:56:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions