A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Outubro de 2017

16/12/2011 13:30

Quem cuida da sua carreira é você, não o Papai Noel!

Edmir Conceição

Você já escreveu sua carta para o bom velhinho? O que pedir depois que descobrimos a verdadeira história de Papai Noel? Que tal alguns presentes quase impossíveis, tais como o fim da corrupção, um Tietê limpo, uma São Paulo sem trânsito ou um Congresso ficha limpa? Para os menos sonhadores, sugiro começar segmentando os pedidos em categorias: família, finanças, saúde e carreira, item que explorarei a seguir.

Pedidos sobre carreira invariavelmente giram em torno de três pilares: novo emprego, promoções ou aumentos salariais. Para deixar o campo dos sonhos e se tornar realidade, muito trabalho é necessário, literalmente. Analisemos algumas condições que em geral auxiliam as pessoas a conquistá-los.

Educação Continuada: significa nunca parar de aprender. Um MBA conta muito no currículo, assim como cursos específicos de curta duração. Conheço alguns profissionais que condicionam seu aperfeiçoamento à empresa, esperando subsídios para amortizar seus investimentos. Em época de cursos online, não estudar pode significar falta de vontade em aprender coisas novas.

Networking: construir e mantê-lo exigem esforço e disciplina. Participar de associações de classe, grupos de executivos e ex-alunos devem fazer parte de sua rotina. Estar presente em eventos e feiras do setor, assim como agendar almoços com ex-colegas e chefes também. Apesar das facilidades das redes sociais profissionais, nada substitui o contato face a face. Vale lembrar que mais da metade das vagas executivas são preenchidas através de indicações.

Idiomas: supondo que você domine de verdade a língua inglesa, e que apresentações, viagens de negócios ou entrevistas de trabalho sejam itens corriqueiros, invista em uma segunda língua. Um espanhol bem falado está bem longe do velho e bom portunhol, utilizado em excursões a Buenos Aires. É o seu caso? Não sei o que ainda está esperando...

Atitude: em quantos novos projetos você se envolveu no último ano? Quais as reais contribuições feitas para a empresa? Quantos elogios e prêmios você ganhou ou foi cogitado para? Tive um chefe que mencionava uma frase célebre: sua atitude determina sua altitude, o que infelizmente pude comprovar na prática, após doze anos de uma bela carreira. Aliás, já reparou que profissionais com atitudes proativas costumam subir mais rápido?

Seja honesto e avalie o seu desempenho nos quesitos mencionados. Você se considera acima, na média ou abaixo? Caso se posicione no primeiro grupo, parabéns! Talvez no próximo natal esteja agradecendo o presente recebido. Abaixo? Mexa-se! Ou então, continue acreditando em Papai Noel. Quem sabe sua proposta não estará na meia, pendurada na lareira.

Marcos Morita é mestre em Administração de Empresas, professor da Universidade Mackenzie e professor tutor da FGV-RJ. Especialista em estratégias empresariais, é colunista, palestrante e consultor de negócios. Há mais de quinze anos atua como executivo em empresas multinacionais.

(*) Marcos Morita é mestre em Administração de Empresas, professor da Universidade Mackenzie e professor tutor da FGV-RJ. Especialista em estratégias empresariais, é colunista, palestrante e consultor de negócios. Há mais de quinze anos atua como executivo em empresas multinacionais.

Um bom texto vai muito além do simples ato de escrever frases
Todos os dias entramos em contato com diferentes textos. Jornais, revistas, poesia, bulas de remédios e propagandas fazem parte da rotina. Nossa escr...
O desafio de ensinar matemática
No mundo atual, com tanta tecnologia e diversão, como fazer um pré-adolescente, de 12 ou 13 anos de idade, acostumado com computadores, celulares e v...
O futuro do 42º porto do mundo
Embora seja o maior da América Latina e o 42º no ranking mundial divulgado há poucos dias pelo Lloyd´s List Maritime Intelligence, de Londres, o port...
O direito a desconexão do trabalho
Trabalho é meio de vida e não meio de morte. Essa afirmação confronta a realidade de milhões de profissionais brasileiros que são obrigados a enfrent...



NATAL...

Sempre observo estas datas de festas e comemorações
Natal que por sua essência devias ser dia de benções
Transformaram em cachaçadas e mortes de muitos irmãos
Antigamente se usavas do amor e devoções

Eras festas de verdade com rezas e orações
Ficavam em volta da mesa e seguravam se mãos
Elevavam o pensamento e a deus pediam perdão
Neste presente eu vejo como mudou meu irmão

São mortes que até assustam por causa dos beberrões
Enche a cara de cachaça e saem em seus carrões
Fazendo barbaridades e a lei não tem punição
Outros matam por discórdias sempre com álcool na mão

Comparando as estatísticas que chegam depois das festas
Parece guerra que ocorrem ou outras de muitas mortes
Se existes outras vidas fico mesmo a pensar
Que aniversario é este que muitos se vão matar...

Nas rodovias se matam em velocidade a abusar
Nas cidades se rebentão em postes e em outros lugares
Sempre largados no álcool e as famílias a se desmanchar
Serás que o aniversariante destas festas vai gostar?

Como pode o ser humano gente se considerar
Matam-se como animais e depois ficam a chorar
Reclamando que a bebida seus cérebros fez cozinhar...
E agora o aniversariante o que vai comemorar...

Jesus amigo querido que um dia vá me julgar
Melhor seria amigo de festas não precisar
Nas comemorações de hoje tristezas vejo sobrar
Família despedaçada que vê seus filhos chorar...

Eu não sei o que fazer nestas tristes situações
Mas te peço meu amigo ou mesmo meu grande irmão
Ao celebrar o nascimento do cristo Jesus então...
Esqueças destas bebidas que a mortes trazem aos montões.

Ficam aqui minhas verdades que faço em comparação
O aniversariante te pedes cautelas em suas mãos
Deixes viverem outras vidas e recebas como benção
O abraço abençoado deste teu simples irmão...
(ZILDO 16/12/11)
 
zildo de oliveira barros em 16/12/2011 01:37:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions