ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 25º

Cidades

Casos quintuplicam com suspeita de nova cepa circulando na Bolívia

Puerto Quijarro, na fronteira com Corumbá, onde houve o primeiro registro da variante P1 do coronavírus em MS

Por Tainá Jara | 04/04/2021 15:58
Vacinação na Bolívia (Foto: Divulgação/Diário Corumbaense)
Vacinação na Bolívia (Foto: Divulgação/Diário Corumbaense)

Em uma semana, o número de casos positivos de covid-19 subiu de seis para 31 na cidade boliviana de Puerto Quijarro, que faz fronteira com o município brasileiro de Corumbá, distante 419 quilômetros de Campo Grande. A suspeita é de que as ocorrências estejam relacionadas à variante P1 do coronavírus, descoberta no Brasil.

O primeiro caso envolvendo a nova cepa do coronavírus, em Mato Grosso do Sul, foi justamente registrado em Corumbá, ainda no final do ano passado, e envolvia alguém que tinha vindo de Manaus, onde houve os primeiros registros da P1. A confirmação saiu apenas neste ano.

De acordo com o jornal Diário Corumbaense, os dados são da Sedes (Diretoria de Epidemiologia do Serviço Departamental de Saúde). A secretaria do país vizinho ainda afirmou que as pessoas que tiveram contato com os infectados estão estáveis e isolados em casa.

O chefe da Epidemiologia, Carlos Hurtado, ressaltou que em pouco mais de uma semana, cerca de 10 mil pessoas com mais de 18 anos foram vacinadas nos municípios fronteiriços.

Foi estabelecido um “cordão de imunização” para maiores de 18 anos em municípios como Puerto Suárez, Puerto Quijarro, El Carmen Rivero Torrez, San Matías e Camiri.

No país, ainda é aguardada a chegada dos resultados laboratoriais da circulação das cepas do coronavírus. A previsão é que os primeiros devem chegar do laboratório da Fiocruz, do Brasil, e depois da Argentina, segundo o jornal El Deber.

Fronteira fechada - Para barrar o contágio da nova cepa, a Bolívia, por meio de decreto do governo federal, determinou o fechamento de fronteiras com o Brasil pelo período de sete dias, que começou na última sexta-feira, 02.

Na fronteira de Puerto Quijarro e Puerto Suárez com Corumbá, a medida é cumprida, porém, com a abertura diária de três horas, das 09h às 12h para que moradores fronteiriços, de ambos os lados, possam resolver questões como comerciais ou serviços essenciais.

Motoristas do transporte pesado também são autorizados a cruzar a ponte que separa os dois países, sem precisar apresentar o teste covid-19, diferente de viajantes que têm que pedir autorização para seguir viagem ao Consulado Boliviano, em Corumbá.

A Bolívia, com pouco mais de 11,7 milhões de habitantes, registrou 273,3 mil casos e 12,2 mil mortes. Já o Brasil, com mais de 220 milhões de pessoas, confirmou 325,5 mil mortes e 12,8 milhões de casos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário