ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  09    CAMPO GRANDE 23º

Economia

Em sábado "tranquilo" nas agências da Caixa, facilidade da maquininha é elogiada

População conhece facilidade, ou usa benefício para outros fins ou acha difícil usar

Por Lucia Morel e Liniker Ribeiro | 30/05/2020 11:48
Filas curtas nas agências da Caixa esta manhã. (Foto: Kísie Anoiã)
Filas curtas nas agências da Caixa esta manhã. (Foto: Kísie Anoiã)

Diferente de cenas já registradas em outros sábados de plantão para liberação do Auxílio Emergencial, o movimento nas agências da Caixa em Campo Grande foi tranquilo neste sábado, de liberação de R$ 600 para mais um grupo de beneficiados.

Entre as pessoas na fila, o uso da maquininha de débito para fazer transações com o benefício foi apontado como uma facilidade que elimina a necessidade de ir a agência por mais gente.  É o caso da professora desempregada Maria Eleunice, de 54 anos. Ela estava esta manhã em uma das agências do banco para pegar o pagamento e disse que ia usar o dinheiro para outras finalidades que não são suportadas pelas maquininhas.

Na casa dela, ela e o marido são beneficiados e conta que em meses anteriores já conseguiu usar o benefício, através do cartão virtual gerado pelo aplicativo da Caixa Tem, em rede atacadista em Campo Grande, mas desta vez resolveu sacar para poder usar o recurso para outro fim.

“Poder usar direto na maquininha é muito bom, é fácil, difícil mesmo é usar o aplicativo, mas depois disso, vou no mercado e uso tranquilamente”, afirma.


Maria já usou o cartão virtual do Caixa Tem em rede atacadista para comprar comida. (Foto: Kísie Anoiã)
Maria já usou o cartão virtual do Caixa Tem em rede atacadista para comprar comida. (Foto: Kísie Anoiã)

Para a dona de casa Silvana Torres, 42 anos, que também foi sacar o benefício, o serviço através das maquininhas de cartão é bom porque agiliza e evita filas, mas ela descobriu hoje que poderia utilizar o auxílio desta forma. “É bom saber, porque a gente vai ao supermercado e já faz a compra, porque o dinheiro é destinado para isso mesmo”, disse.

Já Eva Nogueira, de 62 anos, que é dona de casa, afirma que vai continuar sacando o dinheiro, porque não sabe usar as tecnologias. “Olha , sinceramente eu acho interessante pra quem tem facilidade em usar. O aplicativo nem sempre funciona, e eu não tenho muito estudo também”, ponderou.

Eva diz que tem dificuldade em usar as novas tecnologias. (Foto: Kísie Anoiã)
Eva diz que tem dificuldade em usar as novas tecnologias. (Foto: Kísie Anoiã)

Por fim, Wagner Aparecido Gonçalves, 33 anos, que é movimentador de mercadorias, ainda não recebeu o benefício, que deve ser liberado para ele apenas na segunda-feira. Mas avalia que vai tentar usar diretamente nas maquininhas.

“Ainda não fui atrás para saber como funciona, mas pretendo entender, porque vai ajudar a não pegar filas e não vou ficar perdendo tempo”, avalia.

Facilidade - Todos os 79 municípios de Mato Grosso do Sul, além de 29 distritos, já têm a maquininha da Rede Tendência, pioneira no País em serviço que permite compras no débito com o auxílio emergencial. A ferramenta está disponível até onde agências da Caixa ou unidades lotéricas não chegaram.

A localização dos 6 mil estabelecimentos parceiros pode ser consultada pelo site www.incontre.com.br, onde é possível filtrar quais lojas já estão habilitados a realizar transações com o auxílio emergencial.

Como usar - O pagamento é simples. Ao invés de sacar o dinheiro na agência, o contemplado pelo auxílio emergencial baixa o aplicativo Caixa Tem e, por ele, gera um cartão virtual, com número, data de validade e código de verificação.

Nos pontos habilitados pela Rede Tendência, devidamente sinalizados com adesivos e banners, o beneficiário informa que vai pagar com o auxílio emergencial. O lojista seleciona a opção direto na maquininha, onde também informa valor da compra, CPF do cliente e código de verificação dinâmico, gerado na hora pelo aplicativo Caixa Tem.